MENU

Polícia deve fazer primeira parte da reconstituição do caso Mércia

Polícia deve fazer primeira parte da reconstituição do caso Mércia

Atualizado: Quarta-feira, 11 Agosto de 2010 as 8:33

A Polícia Civil e a Polícia Técnico-Científica de São Paulo devem realizar durante a tarde desta quarta-feira (11) a primeira parte da ‘reconstituição’ do caso Mércia Nakashima.

De acordo com o Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civil, a vistoria, como é chamado o trabalho que peritos e policiais deverão fazer na quarta em Guarulhos, na Grande São Paulo, será baseada no depoimento do advogado e policial militar aposentado Mizael Bispo de Souza, ex-namorado e ex-sócio da advogada assassinada. Segundo a perícia, a presença de Mizael é desnecessária. Segundo o advogado de Mizael, Samir Haddad Júnior, seu cliente não deverá comparecer.

Réu no processo no qual é acusado de matar Mércia juntamente com o vigia Evandro Bezerra Silva, Mizael nega o crime. Ele diz que esteve com uma mulher, apontada como garota de programa, no dia 23 de maio, quando Mércia desapareceu da casa dos avós, em Guarulhos. O corpo de Mércia foi achado em 11 de junho numa represa em Nazaré Paulista, no interior do estado. Um dia antes, o veículo dela havia sido localizado submerso no mesmo local.

A vistoria foi solicitada ao delegado Antônio de Olim, do DHPP, pelo promotor Rodrigo Merli Antunes. "Pedi esse trabalho desde a casa do principal suspeito. Quero saber se a versão dele [Mizael] é compatível com as informações das antenas de telefonia e do rastreador do carro dele", diz. "Apesar de ser uma vistoria, será uma espécie de reconstituição."

De acordo com a investigação e a perícia, esses dados técnicos mostram que Mizael ligou diversas vezes para Evandro no dia em que Mércia sumiu. E que ambos estavam perto da cena do crime.

Os peritos vão confrontar as informações da versão apresentada por Mizael com os dados das quebras dos sigilos telefônicos dos réus e da vítima, além de informações obtidas do rastreador do carro do advogado.

De acordo com fontes policiais que participam da investigação, o DHPP vai usar uma câmera para filmar o possível trajeto que Mizael diz ter feito no dia 23 de maio. Também irão registrar o caminho que ele pode ter feito a partir das antenas de telefonia e GPS do carro. Ambas as versões são conflitantes. Tanto o exame da vistoria quanto as filmagens serão remetidas ao Ministério Público e anexadas ao processo.

Segundo a polícia, policiais farão as vezes dos acusados, possíveis envolvidos e da vítima. Um policial representará Mizael, outro, possivelmente, Evandro, e uma investigadora vai simular ser Mércia.

Reconstituição na represa

A reconstituição oficial será feita a partir da represa de Nazaré Paulista, onde o corpo e o carro da advogada foram achados. Essa reprodução simulada será baseada no depoimento do pescador que afirma ter visto o Honda Fit prata da vítima afundar na água por volta das 19h30 do dia 23 de maio, uma hora depois de Mércia ter deixado a casa dos avós na Grande São Paulo.

Mizael, apontado como o mentor e executor do crime, é acusado por homicídio triplamente qualificado (motivo torpe, meio cruel e dificultar a defesa da vítima). Evandro também foi acusado pelo assassinato, mas com duas qualificadoras (motivo torpe e dificultar a defesa da vítima), sendo citado pelo promotor como "partícipe".

Postado por: Thatiane de Souza Silva

veja também