MENU

Polícia diz já ter identificado cinco suspeitos de roubo milionário

Polícia diz já ter identificado cinco suspeitos de roubo milionário

Atualizado: Sexta-feira, 16 Setembro de 2011 as 4:57

A polícia disse, nesta sexta-feira (16), que já identificou cinco suspeitos de terem participado do roubo milionário a uma agência do banco Itaú na avenida Paulista. A informação foi passada pelo diretor geral do Deic (Departamento de Investigações sobre Crime Organizado), Nelson Silveira Guimarães.

Segundo ele, uma quadrilha formada por 12 pessoas da zona norte de São Paulo seria a responsável pelo crime. Guimarães disse que a polícia pretende prender os cinco suspeitos já identificados até o final da semana.

- A medida que eles forem sendo presos terão que contar o que realmente aconteceu.

As afirmações foram feitas durante entrevista coletiva na sede do Deic, na zona norte da capital paulista, após a divulgação da prisão de um pedreiro de 29 anos na noite da quinta-feira (15). O homem foi detido, em Embu, na Grande São Paulo, com parte das pedras preciosas e das joias do roubo ao Itaú, além de um pacote de dinheiro com 10.840 libras (o equivalente a R$ 29.470) e um carro – que ele teria comprado com cerca de 8.000 dólares, também produto do assalto ao banco.

- Isso é só uma amostra. Foi um ‘cala boca’ feito para o irmão.

De acordo com Guimarães, o irmão do pedreiro é quem, de fato, participou do roubo ao Itaú. O diretor contou ainda que a polícia mostrou ao pedreiro imagens em que aparecem os suspeitos do crime e o detido teria reconhecido um dos homens como seu irmão.

- Recebemos informação de um policial aqui do Deic que esse homem [o pedreiro] estava tendo ações não comuns, nós fomos checar na casa dele e achamos os objetos.

O irmão do pedreiro tem passagens anteriores na polícia por roubo a banco. 

Sem comprovação

Guimarães afirmou ainda que as jóias recuperadas pela polícia nesta quinta-feira só serão devolvidas aos donos que conseguirem comprovar a propriedade dos objetos.

- Quem não tiver comprovante ou nota fiscal não pode reaver esses objetos. As joias estão sob guarda da Justiça.          

veja também