MENU

Polícia do ES busca 33 suspeitos de roubo de madeira e sonegação

Polícia do ES busca 33 suspeitos de roubo de madeira e sonegação

Atualizado: Quarta-feira, 7 Dezembro de 2011 as 8:39

Polícia Civil faz operação no Norte do Espírito Santo (Foto: Divulgação/Nuroc) O Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc) realiza desde a madrugada desta quarta-feira (7) uma operação em quatro estados. São cumpridos mandados de prisão para 33 pessoas no Espírito Santo, São Paulo, Minas Gerais e na Bahia. São funcionários de siderúrgicas e empresários, suspeitos de formar quadrilhas que agem, principalmente, no Espírito Santo. Essas quadrilhas, de acordo com a polícia, montam um esquema criminoso de roubo de madeira e sonegação fiscal na venda de carvão. A operação começou às 4h desta quarta-feira (7), em Aracruz, João Neiva e Pedro Canário, municípios do Norte do Estado. De acordo com o delegado Jordano Leite, uma pessoa já foi detida em Aracruz e  um policiail civil também está com prisão decretada. Segundo a polícia, escutas telefônicas indicam que ele fazia escolta dos caminhões que transportavam madeira roubada e cobrava 400 reais por cada caminhão.

Segundo o Nuroc, madeira foi roubada de propriedades particulares e até de reservas ambientais. A investigação apontou que o furto de madeira é apenas um crime de esquema bem maior. Segundo a polícia, a madeira era transportada em caminhões e levada para carvoarias clandestinas. De acordo com a polícia, no Espírito Santo e na Bahia, 5 mil fornos fazem carvão de maneira irregular.

"Depois, o produto é comprado por uma empresa, que revende o carvão para siderúrgicas, principalmente de Minas Gerais. Só que essa empresa sonega impostos e, assim, consegue vender por um preço bem menor. Este ano a polícia intensificou a investigação e já apreendeu motosserras, aparelhos de emitir nota fiscal eletrônica e armas", contou Jordano Leite.

Madeira foi roubada de propriedades particulares e até de reservas ambientais (Foto: Divulgação/Nuroc) Segundo o delegado, em 2011 mais de 300 pessoas já foram presos suspeitos de de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, crime ambiental, falsidade ideológica e sonegação fiscal. O delegado que comanda a investigação no Espírito Santo disse que esse é o maior esquema de sonegação de impostos que já foi montado no estado.

"Praticamente não ocorreu nenhum recolhimento de ICMS e tributos federais. Nós acreditamos que somente nos últimos cinco anos as cifras chegam a aproximadamente 1 bilhão de impostos sonegados", afirmou Jordano.        

veja também