MENU

Polícia do Rio ouve envolvidos sobre suposto abuso sexual no BBB

Polícia do Rio ouve envolvidos sobre suposto abuso sexual

Atualizado: Terça-feira, 17 Janeiro de 2012 as 1:21

O delegado Antônio Ricardo Nunes, da 32ª Delegacia de Polícia (Taquara) do Rio, chegou ao Projac, na Zona Oeste da cidade, por volta das 10h30 desta terça-feira (17), para ouvir dois participantes do programa "Big Brother Brasil", da TV Globo, sobre uma suspeita de abuso sexual dentro da casa do reality show.


Segundo ele, os participantes são o modelo paulista Daniel Echaniz, de 31 anos, e a estudante gaúcha Monique Amin, de 23 anos.
Na madrugada de domingo (15), após uma festa iniciada na noite de sábado, as câmeras do programa registraram Daniel junto com Monique, sob o edredom, em uma cama. Depois que a cena foi ao ar, passou a circular na internet a versão de que Monique sofreu abuso sexual.


Daniel foi eliminado do programa nesta segunda (16). Ele foi encaminhado a um hotel na Zona Oeste do Rio, segundo declaração de sua mãe, Maria Aparecida Echaniz, para o site EGO.
"Ainda não consegui falar com o meu filho. Fiquei tão chocada quando recebi a notícia da eliminação dele ontem que tomei vários remédios e só acordei agora há pouco. Quem encontrou com ele foi o irmão caçula, e ele disse que está chocado e não está entendendo nada. Estou nervosa e indignada. Penso que o Daniel está sendo vítima de racismo, porque já houve isso antes e não deu essa repercussão toda. Pretendo visitá-lo hoje para dar um abraço apertado nele. Ele é um ótimo filho e nunca me deu problema. Só foi ingênuo", afirmou.


Na tarde de segunda, a Polícia Civil anunciou que foi aberto um registro de ocorrência para investigar as circunstâncias de susposto abuso. Mas o inquérito ainda não foi aberto, segundo informou o chefe de investigação da 32ª DP, Paulo Villas Boas, ao site EGO. “Antes de qualquer coisa, precisamos ouvir as partes envolvidas. O inquérito só será aberto se Monique confirmar que houve abuso e disser que não tinha discernimento”.

A Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM) enviou ofício ao Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro solicitando a tomada de "providências cabíveis" no caso, na segunda. Segundo a secretaria, o ofício foi elaborado com base em demandas encaminhadas por cidadãs de várias cidades à Ouvidoria da SPM, pedindo providências.
A promotora Cristiane Monnerat ficará responsável por acompanhar o caso, por decisão desta terça do procurador-geral de Justiça, Cláudio Lopes.
Procurada pelo G1 nesta terça-feira, a Central Globo de Comunicação (CGCom) informou que já se pronunciou sobre o caso na segunda (leia a íntegra da nota) e não tem previsão de divulgar nova nota sobre o assunto.


A exclusão de Daniel
O anúncio da saída de Daniel foi feito por meio da nota divulgada pela CGCom às 21h53 de segunda. A nota afirma que Daniel foi excluído "devido a um grave comportamento inadequado" e que houve "rigorosa avaliação da Rede Globo, iniciada no domingo de manhã".

Cerca de meia hora depois da divulgação da nota, o apresentador Pedro Bial abriu o programa dizendo: "Desde domingo de manhã, a direção avalia o comportamento de Daniel, suspeito de ter infringido as regras do programa".
Em seguida, foram mostradas cenas do fim de semana. Na volta, Bial anunciou: "O Big Brother avaliou o comportamento de Daniel sem precipitação, com o máximo cuidado. Analisamos as imagens que evidenciaram uma infração ao regulamento do programa. Depois de criteriosa avaliação, a direção do programa entendeu que o comportamento do brother na noite da festa foi gravemente inadequado. Consequentemente, Daniel está eliminado do BBB12".
O apresentador, no entanto, não especificou o regulamento que foi infringido.

veja também