MENU

Polícia entra na Câmara Legislativa do Distrito Federal para negociar saída de manifestantes

Polícia entra na Câmara Legislativa do Distrito Federal para negociar saída de manifestantes

Atualizado: Terça-feira, 8 Dezembro de 2009 as 12

Uma equipe do Bope (Batalhão de Operações Especiais) da Polícia Militar do Distrito Federal já está na Câmara Legislativa do DF para negociar a saída dos manifestantes a favor e contra o governador José Roberto Arruda que permanecem dentro do prédio. Segundo o tenente-coronel Alberto Pinto, do Comando Geral da PM, há na Casa cerca de 300 manifestantes. Ele não divulgou o número de policiais que participam da operação.

O tenente-coronel afirmou que a ordem judicial que determinou a desocupação do prédio até as 19h de hoje será cumprida, e que a forma como isso ocorrerá será definida pela polícia. De acordo com Pinto, o primeiro passo será uma tentativa de negociação para que os manifestantes deixem a Casa pacificamente.

Após reunião com parte do comando do Bope e com o presidente interino da Casa, Cabo Patrício (PT), os manifestantes que pedem a saída do governador decidiram que não vão deixar o prédio da Câmara. Eles disseram que vão ficar no local e resistir pacificamente até serem retirados pela polícia.

Cabo Patrício determinou a suspensão das atividades da Casa nesta terça-feira após um confronto verbal entre manifestantes a favor e contra o governador do DF, José Roberto Arruda, se tornar em possibilidade de agressão física.

Uma mensagem nos alto-falantes da Câmara anunciava que por questões de segurança Patrício determinava o fim das atividades e ordenava que todos os servidores da Casa fechassem os gabinetes e fossem embora. A sessão que ocorreria durante a tarde também foi cancelada e os trabalhos só deverão ser retomados amanhã.

Depois dos manifestantes que pedem a saída do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, que ocupam a Câmara Legislativa do DF desde a semana passada, foi a vez de apoiadores do governador tomarem os corredores da Casa nesta terça-feira (08). Com cartazes e camisetas de apoio à Arruda, cerca de 50 pessoas entraram na Câmara Legislativa nesta manhã para acompanhar a análise dos pedidos de impeachment contra o governador.

Enquanto deputados liam o parecer da Procuradoria da Casa sobre os pedidos de impeachment, os manifestantes a favor e contra Arruda se enfrentavam verbalmente na galeria da Câmara, espaço ao lado do plenário onde os cidadãos podem acompanhar as sessões.

Com camisetas verdes na qual se lia ''eu acredito no'' seguido pelo símbolo de uma planta de arruda, os manifestantes a favor do governador gritavam frases como ''deixa o homem trabalhar''. Mais manifestantes pró-Arruda tentavam entrar na Câmara, mas seguranças da Casa não os deixavam entrar.

O deputado Paulo Tadeu (PT) acusou o governo de convocar servidores públicos do Distrito Federal para se manifestar a favor de Arruda, com uso de ônibus arranjados pelo governo. Os manifestantes negam e disseram que foram ao protesto defender Arruda pois ele faz um bom governo.

Por Lais Lis

veja também