MENU

Polícia espera ouvir nesta terça dona de parque onde jovem morreu

Polícia espera ouvir nesta terça dona de parque onde jovem morreu

Atualizado: Terça-feira, 16 Agosto de 2011 as 10:46

A delegada Adriana Belém, da 42ª DP (Recreio dos Bandeirantes), disse na manhã desta terça-feira (16) que espera ouvir ainda nesta tarde o depoimento da dona do parque de diversões instalado em Vargem Grande, Zona Oeste do Rio, e do filho dela. Na madrugada de domingo (14), a jovem Alessandra Aguilar, de 17 anos, morreu ao ser atingida por uma carrinho que se soltou de um brinquedo. Outros oito jovens ficaram feridos, dois em estado grave. Alessandra foi enterreda na segunda-feira (15) em clima de muita emoção e revolta. Segundo a delegada, após uma vistoria que comprovou diversas irregularidades no parque, a dona do estabelecimento e o filho serão indiciados por homicídio doloso , quando há intenção de matar.

Adriana Belém disse que tinha intimado os responsáveis pelo parque para prestarem depoimento na segunda-feira (15), mas eles não compareceram. Ela remarcou o depoimento para esta terça e disse que, se eles não foram à delegacia, serão convocados apenas mais uma vez. Depois disso, segundo ela, terão que ser conduzidos pela polícia à 42ª DP para prestar esclarecimentos.

Engenheiro indiciado por falsidade ideológica

A delegada confirmou ainda que o engenheiro que deu a autorização para o parque funcionar e disse que não andaria nos brinquedos nem permitiria que seus parentes andassem já está indiciado por falsidade ideológica.

"Ele deu declarações em documento público que não corresponde à verdade. O parque não tem condições de funcionar", explicou Adriana, informando que se condenado na Justiça, o engenheiro pode cumprir pena de 1 a 5 anos de detenção.

Nesta manhã, o Crea-RJ confirmou que o engenheiro responsável pela liberação do parque será ouvido na próxima terça (23). O objetivo é saber como eram feitos os laudos de liberação de uso dos brinquedos que não apresentavam bom estado de conservação. .A Comissão de Análise e Prevenção de Acidentes (CAPA) do Crea-RJ abriu inquérito para apurar as causas do acidente no parque.  Na segunda, representantes do Crea-RJ estiveram no local e constataram irregularidades mecânicas e de segurança nos equipamentos e instalações elétricas. 

Parque já era investigado em caso de homicídio culposo

Segundo Adriana Belém, não é a primeira vez que acontecem acidentes no parque de diversões investigado.

“Já descobri, inclusive, a ocorrência de um homicídio culposo, em 2006, além de vários procedimentos de lesão corporal por acidentes ocorridos neste mesmo parque”, disse.

A mãe de Alessandra no enterro (Foto: Lilian Quaino/G1)

  Jovens dizem que 5 estavam em carrinho

Dois jovens que estavam no brinquedo que despecou do alto foram ouvidos pelo G1 na manhã de segunda-feira (15). Eles confirmaram que cinco pessoas estavam no carrinho. A delegada investiga se o excesso de peso causou o acidente. Segundo ela, o carrinho comporta quatro pessoas. Já ouvido pela polícia, um dos responsáveis pelo parque, afirmou que eram quatro no brinquedo.              

veja também