MENU

Polícia investiga caso de mulher e bebê atropelados em SP

Polícia investiga caso de mulher e bebê atropelados em SP

Atualizado: Quinta-feira, 13 Maio de 2010 as 8:44

A Polícia Civil de São Paulo informou nesta quarta-feira (12) que abriu inquérito para investigar o atropelamento de uma criança de quatro meses e de uma dona de casa de 20 anos na madrugada de terça-feira (11).  A menina ficou presa no capô do carro e foi encontrada 500 metros à frente. A mãe teve ferimentos no braço, na perna esquerda e nas costas. As duas vítimas foram levadas ao Hospital Municipal Ermelino Matarazzo. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, a mulher teve alta na terça-feira. A criança deixou o hospital nesta quarta.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública, a motorista suspeita pelo atropelamento dirigia sem habilitação e não prestou socorro às vítimas. Ela se apresentou à polícia horas depois do acidente e foi liberada. O delegado que cuida do caso decidiu que ela pode responder em liberdade porque, além de não ter sido feito o flagrante, ela se apresentou espontaneamente ao 63º Distrito Policial e tem residência fixa.

A dona de casa atropelada foi orientada quanto ao prazo de seis meses para representação contra a motorista. O boletim de ocorrência registrou lesão corporal culposa na direção de veículo automotor, fuga de local de acidente e direção sem permissão ou habilitação.

A mulher e a criança foram atropeladas por volta da 1h de terça-feira (11), no cruzamento da avenida São Miguel com a rua Palmeira de Leque, em São Miguel Paulista, na Zona Leste de São Paulo.

Segundo a mãe da criança, ela atravessava a rua pela faixa de pedestre, com a filha no colo, quando um Uno Mile passou pelo sinal vermelho.

A motorista de 36 anos estava no carro em companhia dos dois filhos e do sobrinho. Ela contou à polícia que o semáforo estava aberto no momento em que passava pela faixa, e chegou a olhar, mas não viu ninguém.

Segundo a secretaria, a motorista contou à polícia que sua visão estava prejudicada, pois os vidros estavam embaçados pelo sereno. Ela disse ainda ter percebido que alguém bateu no veículo, mas continuou, pois teve medo que fosse um assalto. Mais adiante, seu sobrinho abriu a janela do automóvel e puxou um cobertor para dentro. O carro foi apreendido e encaminhado para perícia. O delegado solicitou exame de corpo de delito das vítimas.

veja também