MENU

Polícia investiga morte de bebê em maternidade da Baixada Fluminense

Polícia investiga morte de bebê em maternidade da Baixada Fluminense

Atualizado: Quinta-feira, 20 Janeiro de 2011 as 2:35

A morte de um bebê recém-nascido em uma clínica particular de Queimados, na Baixada Fluminense, no último sábado (15), está sendo investigada por policiais da 55ª DP (Queimados). Segundo o delegado Niandro Ferreira, a mãe da criança acusa a maternidade de negligência médica. De acordo com o laudo de óbito do Instituto Médico Legal (IML), a criança morreu após ficar sufocada e sofrer também um traumatismo craniano. Procurado pelo G1,  o responsável pela unidade de saúde ainda não se pronunciou.

"De certo houve um homicídio culposo por parte de alguém que agiu de forma negligente. Seja de médico, enfermeira ou da mãe. Segundo o pai da vítima, estagiários teriam atendido a mãe e o bebê e até prescreveram medicamentos. Vamos investigar para apurar quem é o responsável pela morte", disse o delegado.

Nesta quarta-feira (19), a mãe da criança esteve na delegacia para prestar depoimento. Segundo ela, o bebê só ficou longe da família por dois momentos. "Foi um parto normal, realizado de forma emergencial na sexta-feira (14). A mãe contou que só deixou a criança com funcionários do hospital na hora do banho e quando ele foi levado para a encubadora", contou Niandro.

Ainda de acordo com o delegado, o sufocamento apontado pelo laudo teria acontecido depois que o recém-nascido foi amamentado pela mãe. "Quando viram que a criança estava sufocando, os enfermeiros a levaram direto para a incubadora", afirmou o delegado.

Morte teria sido anunciada por estagiário, segundo pai do bebê

Segundo a polícia, os dois universitários citados pelo pai da vítima já foram ouvidos. Em depoimento, eles negaram as acusações e disseram que sempre estiveram sob a supervisão de um médico plantonista.

"Em nenhum momento eles podem prescrever, atuar como médicos. Segundo o pai, um dos estagiários foi o responsável por dar a notícia sobre a morte do bebê", disse o delegado.

Ainda de acordo com Niandro Ferreira, o médico que estava de plantão no dia do óbito será chamado para depor nos próximos dias.    

veja também