MENU

Polícia investiga morte de gatos em Ribeirão Preto

Polícia investiga morte de gatos em Ribeirão Preto

Atualizado: Segunda-feira, 9 Maio de 2011 as 2:01

Gatos foram recolhidos pela Divisão de Controle de Zoonoses de Ribeirão Preto (Foto: Silva Júnior/Folhapress)

  A Divisão de Controle de Zoonoses de Ribeirão Preto, a 313 km de São Paulo, recolheu nesta segunda-feira (9) um total de 26 gatos mortos no complexo Morro de São Bento, região que inclui um zoológico, praças e prédios públicos. Os animais viviam soltos na região e eram alimentados diariamente por pelo menos duas pessoas. A Delegacia de Proteção aos Animais da cidade investiga o caso.

De acordo com Eliana Collucci, chefe da Divisão de Controle de Zoonoses de Ribeirão Preto, um das pessoas que costuma alimentar os animais encontrou alguns deles mortos na noite de domingo (8). Nesta manhã, ela recebeu uma denúncia sobre os animais mortos. O diretor do Zoológico Municipal também entrou em contato com o órgão para informar que gatos mortos foram encontrados em um bosque que fica no local.

Segundo Eliana, o complexo é um ponto já conhecido de abandono de animais. “Eram gatos soltos, de rua, mas ficavam restritos nessa área grande que inclui o zoológico. Pelo que foi descrito, como eles estavam, babando, em choque, a gente acredita que foi envenenamento através de alimento que foi fornecido”, afirmou.

Ainda de acordo com ela, os animais eram acompanhados pela Zoonoses e boa parte deles já estava castrada, vacinada e vermifugada. O órgão também mantinha um monitoramento dos gatos junto com as pessoas que cuidavam deles.

O caso foi encaminhado para a Delegacia de Proteção aos Animais de Ribeirão Preto, que já avaliou o local onde os animais foram encontrados e recolheu amostras de alimentos. A Divisão de Controle de Zoonoses da cidade preservou seis dos animais encontrados mortos para que possam ser realizados exames.

Segundo a EPTV, o delegado responsável pelo caso, Norberto Bocamino, não tem dúvidas de que houve um ato criminoso. O departamento aguarda, nos próximos dias, o resultado do exame toxicológico nos gatos, além dos que serão feitos pelo Instituto Adolfo Lutz com os restos de ração encontrados no local. “Por não ter sido morte natural, de qualquer forma esses animais foram exterminados”, afirmou.      

veja também