MENU

Polícia investiga relação entre assalto a bar e rapaz baleado em SP

Polícia investiga relação entre assalto a bar e rapaz baleado em SP

Atualizado: Terça-feira, 3 Maio de 2011 as 8:16

  A Polícia Civil de São Paulo vai investigar uma possível relação entre duas ocorrências policiais registradas na noite desta segunda-feira (2) na região do Jaçanã, Zona Norte de São Paulo. Em um dos casos, um rapaz de 18 anos foi ferido por um tiro de raspão na cabeça na frente de casa. Pouco antes, na mesma região, assaltantes tentaram roubar um bar onde havias máquinas caça-níquel. Houve tiroteio – uma pessoa morreu e outra ficou ferida.

O dono do bar contou que o estabelecimento estava quase fechando quando dois homens chegaram armados e anunciaram o assalto. Eles queriam o dinheiro das três máquinas caça-níqueis que ficavam escondidas nos fundos. O comerciante pegava a chave dos equipamentos quando começou um tiroteio. Ele disse à polícia que não viu quem fez os disparos.

Um dos assaltantes fugiu e o outro morreu na hora. A polícia disse que um cliente que chegava no bar para comprar cerveja foi atingido por um tiro no peito. Mesmo ferido, ele conseguiu ver três pessoas saindo correndo.

Quase no mesmo horário, um rapaz de 18 anos levou um tiro de raspão na cabeça e outro no dedo. Ele foi socorrido por um carro da PM. Na delegacia, disse que foi baleado na porta de casa por dois homens que passaram em uma moto. Já os PMs contaram ao delegado que o jovem também se machucou no tiroteio no bar. A casa dele fica a menos de um quilômetro do local.

O rapaz foi ouvido e liberado. O delegado registrou duas ocorrências – o tiroteio no bar e uma tentativa de homicídio contra o rapaz. A Polícia Civil deve enviar os dois casos para a Corregedoria da PM.

O rapaz ferido na cabeça foi liberado pelo delegado. O dono do bar não o reconheceu como um dos assaltantes. Entretanto, o comerciante vai ter que prestar esclarecimentos para um juiz. Ele deve responder por exploração de jogos de azar. O rapaz ferido no peito foi internado e passa bem.

O delegado suspeita que alguém tenha mexido na cena do crime antes da chegada da perícia. Ele acredita que pelo menos oito disparos tenham sido feitos, mas nenhuma cápsula foi encontrada. A PM afirmou que preservou o local.        

veja também