MENU

Polícia investiga se suspeito de pedofilia no CE praticava magia negra

Polícia investiga se suspeito de pedofilia no CE praticava magia negra

Atualizado: Sexta-feira, 26 Agosto de 2011 as 4:17

Na casa do suspeito, foram encontradas várias

peças íntimas de crianças (Foto: TV Verdes Mares

Cariri/Reprodução)

  A Polícia Civil de Pindoretama, Região Metropolitana de Fortaleza, investiga se crimes de pedofilia têm relação com magia negra. A suspeita da polícia é de que o homem reproduzia cenas de livros encontrados na casa dele que exibiam crianças em poses sexuais, de acordo com a delegada da cidade, Ana Cristina Lima. Os livros, segundo a delegada, estavam guardados em um armário onde o suspeito mantinha também os documentos pessoais.

Em depoimento, o suspeito afirma que é catador de lixo e encontrou os livros em depósitos. A delegada diz que os livros são muito novos e bem conservados para terem sido encontrado em depósitos. As roupas íntimas infantis encontradas na casa do suspeito, segundo depoimento, também foram catadas no lixo. A polícia, no entanto, diz que a quantidade de peças é muito grande para  ter sido colhida em lixeiras.

Entre os livros encontrados na casa do suspeito, segundo a delegada Ana Cristina, estava o Livro de São Cipriano, também conhecido com o “Livro da Capa Preta”, que tem anotações sobre ocultismo. Cipriano é um personagem da religião cristã que foi beatificado e depois excomungado pela Igreja Católica por heresia.     Crimes em Juazeiro do Norte

A Polícia Civil do Ceará afirma que o agricultor suspeito de pedofilia cometeu crimes também em Juazeiro do Norte, cidade natal do suspeito e onde ele foi encontrado foragido. Em Pindoretama, onde ele foi denunciado por familiares, a polícia diz que ele pode ter abusado de pelo menos 22 crianças. A polícia ressalta que só um exame técnico vai confirmar os supostos crimes.

De acordo com a delegada de Pindoretama, Ana Cristina, o suspeito admitiu se masturbar na frente de crianças. O suspeito nega parte das acusações.

A Polícia Civil de Pindoretama requereu ajuda do Conselho Tutelar para constatar se houve sequelas psicológicas nas crianças que podem ter sido abusadas. Caso se confirme, diz a delegada, o exame será anexado às provas contra o suspeito de pedofilia. “Não depende mais da polícia, depende dos técnicos avaliar o grau de prejuízo que o homem possa ter causado nas crianças”, diz Ana Cristina.

Ação do suspeito

Segundo a delegada Ana Cristina, o homem oferecia brinquedos, doces e bicicletas para atrair crianças até um casebre na zona rural de Pindoretama. O agricultor também oferecia serviços remunerados, pagando de R$ 0,50 a R$ 2,00. No casebre, segundo policiais, o suspeito dopava as crianças e abusava delas.

As crianças citaram em depoimento que o suspeito também filmava os atos sexuais. Não foram encontrados equipamentos eletrônicos que possam ter sido usados para registrar as cenas. A delegada de Pindoretama descreve o agricultor como "um homem acima de qualquer suspeita". Ele era agricultor cadastrado e frequentava uma igreja na cidade.

  Ele foi flagrado por acaso, segundo a delegada, quando a avó de uma criança pediu para o neto devolver uma bicicleta ao dono. Segundo depoimento da avó à polícia, quando o neto foi devolver a bicicleta, o homem estava se masturbando para a criança. Ainda de acordo com a delegada Ana Cristina, o suspeito usava a bicicleta para que as crianças explicassem aos pais o aparecimento de assaduras.

Após a denúncia da avó, outras mães e familiares procuraram a polícia local para relatar casos semelhantes. A polícia decretou prisão preventiva do suspeito e espalhou cartazes pela cidade anunciado procura pelo suspeito dos supostos casos de pedofilia. Os crimes causaram revolta na população de Pindoretama, que apedrejou e destruiu o casebre do suspeito. Tanto no casebre em Pindoretama como na casa onde foi capturado, em Juazeiro do Norte, foram encontradas roupas íntimas infantis.              

veja também