MENU

Polícia mantém cerco na Rocinha

Polícia mantém cerco na Rocinha

Atualizado: Sexta-feira, 11 Novembro de 2011 as 8:03

Entre 80 e 100 policiais do Batalhão de Choque mantêm o cerco policial na Favela da Rocinha, na Zona Sul do Rio, na manhã desta sexta-feira (11). Eles fazem blitz em pelo menos cinco pontos da comunidade, incluindo também a Favela do Vidigal.

Durante a madrugada, um homem foi preso, numa blitz, deixando a Rocinha num táxi roubado . À polícia, o suspeito contou que pegou o veículo emprestado e não sabia do roubo. O caso foi registrado na na 15ª DP (Gávea).

Os policiais seguem posicionados estrategicamente, como na Avenida Niemeyer, na entrada do Vidigal, no Largo do Boiadeiro e na Estrada da Gávea. Segundo a polícia, moradores devem manter suas rotinas porque não há intenção de confronto com criminosos. O planejamento de ocupação da Rocinha é estratégico e está sendo feito com o apoio do serviço de inteligência.

Já as aulas na comunidade seguem suspensas até a próxima quarta-feira (16).  

Cabral e Beltrame falam sobre prisão de Nem

Na quinta-feira (10), o governador Sérgio Cabral afirmou que a ocupação da Rocinha será concluída até domingo (13). O local deve receber a 19ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) do Rio. Na ocasião, Cabral comentou a prisão do traficante Antônio Bonfim Lopes, conhecido como Nem , que é apontado como chefe do tráfico de drogas na Rocinha. "É mais um passo importante na política de pacificação das comunidades para oferecer paz, dessa vez aos moradores da Rocinha e do Vidigal, que se somam às demais comunidades pacificadas. Até o final dessa semana, nós teremos concluído esse processo", afirmou Cabral, acrescentando que esse  "é um processo de integração das polícias, com as Forças Armadas".

"Temos que agradecer ao Exército por estar no Complexo do Alemão e no Complexo da Penha, isso nos ajudou a fazer todo esse trabalho da Rocinha;  à Polícia Federal pelo seu trabalho de inteligência, à Polícia Civil e à Polícia Militar", completou o governador.

Já o secretário de Segurança Pública, José Mariano Beltrame, disse em entrevista por telefone ao Bom Dia Brasil que os criminosos da Rocinha  demonstraram fragilidade diante da ação policial realizada nesta madrugada , que terminou com a prisão de 15 pessoas, entre elas, Nem. Todos estão presos em Bangu .

O secretário não deu detalhes sobre a ocupação. “Essa informação a gente ainda mantém sob sigilo, face a uma operação combinada que já começou há bastante dias atrás e nós ainda temos alguma coisa ainda a ser investigada, a ser processada para determinar efetivamente quando isso vai se dar”, disse o secretário.

Apoio ao Ministério da Defesa

O Ministério da Defesa vai mandar homens da Marinha e equipamentos militares para a ocupação da Rocinha. Apesar do ministério não confirmar formalmente a participação na operação, o pedido de apoio logístico ao Ministério da Defesa foi feito há cerca de dez dias pelo governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB). A informação foi publicada inicialmente no site do Jornal Extra .

A Marinha usará na operação os mesmos blindados utilizados na tomada das comunidades do Complexo do Alemão e da Vila Cruzeiro, no Rio, os chamados Clanfs (carros lagartas anfíbios). Os blindados serão operados por fuzileiros navais e também ajudarão no transporte dos policiais militares durante a entrada no morro.

Restrição do espaço aéreo

A assessoria da Aeronáutica informou, na quinta-feira (10), que foi enviado um comunicado a controladores de voo, pilotos e auxiliares envolvidos em operações aéreas em todo o país informando que haverá restrição do espaço aéreo em região próxima à da Pedra da Gávea, no Rio, entre 0h e 16h de domingo. .

O motivo da medida é a operação militar que pretende ocupar a favela da Rocinha. A restrição ocorrerá numa área com raio de 2,8 quilômetros e 900 metros de altitude, de acordo com a assessoria da Força Aérea.          

veja também