MENU

Polícia prende 13 suspeitos de corrupção em Taboão da Serra

Polícia prende 13 suspeitos de corrupção em Taboão da Serra

Atualizado: Segunda-feira, 6 Junho de 2011 as 1:38

Polícia cumpre mandados de prisão em Taboão da

Serra nesta segunda-feira (Foto: Letícia Macedo/G1)

  Uma operação da Polícia Civil que mobilizou 220 policiais cumpre desde a madrugada desta segunda-feira (6) 15 mandados de prisão e 52 mandados de busca e apreensão em Taboão da Serra, na Grande São Paulo. Até por volta das 12h30, 13 pessoas haviam sido detidas suspeitas de fazer parte de um esquema de corrupção e desvio de dinheiro na Prefeitura do município. Duas pessoas ainda são procuradas.

Entre os presos nesta segunda-feira estão três secretários, o vereador Natalino José Soares, que não quis conversar com a reportagem, um proprietário de uma imobiliária, além de servidores e ex-servidores. A esposa do vereador Carlos Andrade também está entre os detidos.     As investigações, que começaram no mês de março, apontam que os suspeitos estão envolvidos na fraude que ocorria no setor da dívida ativa de Taboão da Serra. Um esquema criminoso cobrava uma porcentagem da dívida dos devedores para terem quitados débitos irregularmente. Os valores devidos eram apagados da conta de dívidas ativas e não entravam no caixa da Prefeitura.

A polícia não descarta que mais pessoas estejam envolvidas no esquema. “Vamos fazer interrogatórios e analisar todas as provas que foram apreendidas hoje. Mas, em princípio, são prisões importantes, porque levam a crer que mais pessoas do executivo estariam envolvidas. É isso que nós estamos checando”, declarou o delegado responsável pela operação, Raul Godoy Neto.

De acordo com o delegado, o prefeito de Taboão da Serra, Evilásio de Farias (PSB), não é até o momento investigado. “Nós não estamos investigando nenhuma pessoa isoladamente. Estamos investigando uma fraude que vem ocorrendo dentro da Prefeitura com participação de funcionários do legislativo também. Se houver indícios da participação do prefeito, mais para frente ele vai ser responsabilizado. Se não houver, a responsabilidade foge dele”, afirmou o delegado.

O delegado afirmou que não é possível mensurar até esse momento o tamanho da fraude. No início de maio, em 30 dias foram desviados em torno de R$ 1,2 milhão. Em uma primeira etapa das investigações foram nove pessoas foram presas, entre elas três vereadores: Carlos Andrade (PV), José Luiz Elói (PMDB) e Arnaldo Clemente dos Santos (PSB).

Papel dos suspeitos

Godoy Neto afirmou que os secretários e o vereador detidos nesta segunda-feira agiam da mesma forma dos vereadores detidos no início do mês. “Eles agiam da mesma forma que agiam os outros três vereadores que foram presos anteriormente. Pela posição que ocupam e pelo livre trânsito que têm nos setores públicos agiam captando beneficiários para essas fraudes”, declarou.

O dono da imobiliária do município é apontado como responsável pela redução do valor venal dos imóveis para que os devedores tivessem o valor dos seus impostos reduzidos.

De acordo com o chefe dos investigadores, Ivan Jerônimo da Silva, foram apreendidos documentos e computadores, que devem ajudar nas investigações. Veículos também foram apreendidos.

Cobranças

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Taboão da Serra afirmou no início desta tarde que a prefeitura tem intensificado as medidas de segurança para evitar fraudes desde a descoberta do esquema criminoso. De acordo com o secretário de Comunicação, Mário de Freitas, a Prefeitura já identificou alguns beneficiários do esquema e já lhes enviou um novo boleto para fazer a cobrança do valor indevidamente quitado.

Investigações

A investigação começou em março. No início de maio, sete suspeitos foram presos por envolvimento no esquema que fraudava a dívida pública ativa do município, sendo três vereadores e ex-funcionários municipais de alto escalão. Segundo a polícia, ao retirar do sistema o saldo devedor, eles embolsavam uma parte do débito baixado. Um servidor público foi preso em flagrante, em março.

Na época, o prefeito de Taboão da Serra, Evilásio Cavalcante de Farias (PSB), afirmou que o esquema foi descoberto pela Secretaria de Finanças, que observou que as baixas nas dívidas ativas não correspondiam às entradas de recursos. Foi montado um esquema para flagrar o servidor que dava baixa nas dívidas dos devedores que pagavam um montante para integrantes do grupo.

A Prefeitura contratou uma auditoria independente para fazer uma varredura nas contas municipais.

Suplentes assumem

Nesta segunda-feira, a Câmara dos Vereadores de Taboão da Serra irá ouvir uma das pessoas responsáveis pela criação de senhas de acesso ao sistema que permitiu ao grupo criminoso deduzir os débitos do sistema da Prefeitura.

À tarde, os três suplentes dos vereadores que foram presos na primeira parte da operação, em maio, tomam posse. Alberto Queiroz substitui Carlos Andrade (PV); Fausta Santos Leite assume o posto de Arnaldo dos Santos do (PSB); e Tales Franco assume a cadeira de José Luiz Eloy (PMDB).            

veja também