Polícia prende 20 suspeitos em praça usada para venda de drogas no Rio

Polícia prende 20 suspeitos em praça usada para venda de drogas no Rio

Atualizado: Sábado, 26 Novembro de 2011 as 8:29

Uma operação das polícias Civil e Militar prendeu, na noite desta sexta-feira (25), 20 suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas, em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro. A ação visava acabar com o comércio ilegal de drogas na Praça Edmundo Bittencourt. Segundo a polícia, quatro menores também foram detidos.

A ação contou com 50 policiais e cães farejadores. Os agentes cercaram as principais entradas e saídas da praça. A praça era ocupada por traficantes que perderam seus pontos de venda nos morros da Zona Sul. Segundo a polícia, foram dois meses de monitoramento no local. As imagens gravadas pela Polícia Militar mostram flagrantes de consumo e venda de drogas, dia e noite.

Os investigadores dizem que os traficantes que aparecem nas imagens são dos morros Dona Marta, em Botafogo, e Tabajaras, que fica perto da praça, também em Copacabana. Com as favelas pacificadas e ocupadas pela polícia, eles transferiram os pontos de venda para o asfalto.

"Não é lugar para isso. Copacabana não tem espaço para isso. As famílias podem aproveitar a praça, e esse é o nosso objetivo", disse Cláudio Oliveira, tenente-coronel da Polícia Militar.

Flagrante

Uma das imagens mostra um homem preparando um cigarro de maconha ao lado de outras duas pessoas. Um outro homem de camisa branca, segundo os policiais, aparece comprando drogas, tudo bem perto dos moradores do bairro.

Um morador falou sobre a situação que a vizinhança é obrigada a presenciar. "Eu não tenho condições de andar com a minha família, porque é cheio de gente rodando para cima e para baixo. Meu filho estava olhando e tinha um bando de homens enrolando cigarro, acendendo drogas lá e eu tive que sair correndo com medo de alguma represália”.

Os cães encontraram crack, cocaína e maconha. Foram apreendidos também um revólver, dinheiro e celulares.

"Alguns rapazes que apareciam nas imagens, até no movimento de tráfico de drogas muito intenso, esses são os nossos principais autos, mas muitos outros que aparecerem sofrerão o mesmo tratamento criminal. De uma forma ou de outra todos serão investigados. Todos terão a sua vida defasada", disse o delegado Bruno Gilaberte.          

veja também