MENU

Polícia prende 23 pessoas no ES e BA em combate a roubo de madeira

Polícia prende 23 pessoas no ES e BA em combate a roubo de madeira

Atualizado: Quinta-feira, 8 Dezembro de 2011 as 8:59

O número de presos na operação do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e à Corrupção (Nuroc) que combate o roubo e a sonegação fiscal da madeira chegou a 23 até o fim da tarde desta quarta-feira (7). A operação é realizada no Espírito Santo, Bahia, São Paulo e Minas Gerais. Os detidos foram levados para Teixeira de Freitas, na Bahia, onde foram ouvidos por promotores. Segundo o delegado Jordano Bruno Leite, 11 pessoas foram presas no Espírito Santo e serão encaminhadas para os Centros de Detenção Provisória (CDPs).

O delegado Jordano Bruno Leite disse que nos próximos dias deve pedir a prisão de mais 50 pessoas ligadas à Máfia do Carvão. A Justiça decretou o bloqueio de bens e as contas bancárias de todos os suspeitos.

Uma siderúrgica de João Neiva, no Norte do estado, foi multada em R$ 800 mil, nesta quarta-feira. Na Grande Vitória, foram recolhidas notas fiscais em uma siderúrgica de Vila Velha, todas em nome de laranjas. A siderúrgica informou que nada teme, porque só compra carvão de forma legal. De acordo com a polícia, o esquema deu R$ 1,2 bilhões de prejuízo aos cofres públicos em sonegação de impostos, no Espírito Santo. De acordo com o delegado, as empresas de compra e revenda do carvão são criadas em nomes de laranjas, não recolhem impostos e são abandonadas após o acúmulo de dívidas fiscais. A polícia acredita que as quadrilhas já agem há pelo menos dez anos com este esquema. Em Mucuri, no Norte do Espírito Santo, mais de R$ 15 milhões foram movimentados com a venda ilegal em nome de um dos laranjas.

Na Bahia, um policial civil foi preso e o dono de uma concessionária está foragido, segundo a polícia. A polícia apreendeu quatro motosserras na casa de uma mulher em Aracruz.

Durante a operação, fornos foram interditados no Espírito Santo, e alguns foram destruídos no Sul da Bahia.

Madeira foi roubada de propriedades particulares e até de reservas ambientais (Foto: Divulgação/Nuroc) Operação

Segundo o Nuroc, madeira foi roubada de propriedades particulares e até de reservas ambientais. A investigação apontou que o furto de madeira é apenas um crime de esquema bem maior. Segundo a polícia, a madeira era transportada em caminhões e levada para carvoarias clandestinas. De acordo com a polícia, no Espírito Santo e na Bahia, 5 mil fornos fazem carvão de maneira irregular.

"Depois, o produto é comprado por uma empresa, que revende o carvão para siderúrgicas, principalmente de Minas Gerais. Só que essa empresa sonega impostos e, assim, consegue vender por um preço bem menor. Este ano a polícia intensificou a investigação e já apreendeu motosserras, aparelhos de emitir nota fiscal eletrônica e armas", contou Jordano Leite.

Polícia Civil faz operação no Norte do Espírito Santo (Foto: Divulgação/Nuroc) Segundo o delegado, em 2011 mais de 300 pessoas já foram presos suspeitos de de lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, crime ambiental, falsidade ideológica e sonegação fiscal. O delegado que comanda a investigação no Espírito Santo disse que esse é o maior esquema de sonegação de impostos que já foi montado no estado.

"Praticamente não ocorreu nenhum recolhimento de ICMS e tributos federais. Nós acreditamos que somente nos últimos cinco anos as cifras chegam a aproximadamente 1 bilhão de impostos sonegados", afirmou Jordano.      

veja também