MENU

Polícia retoma depoimentos sobre mortes no Aglomerado da Serra

Polícia retoma depoimentos sobre mortes no Aglomerado da Serra

Atualizado: Quarta-feira, 23 Fevereiro de 2011 as 11:55

A Polícia Civil ouve nesta quarta-feira (23) seis pessoas ligadas aos dois homens que foram mortos por policiais no Aglomerado da Serra, na Região Centro Sul de Belo Horizonte, no sábado (19). De acordo com a assessoria da Polícia Civil, os depoimentos vão ser tomados durante todo o dia, no Departamento de Investigações, na capital. O delegado Fernando Miranda, da Delegacia de Homicídios Centro-Sul, na capital, é o responsável por tomar o depoimento das testemunhas, todos moradores do aglomerado, segundo a polícia.

Nesta terça-feira (22), o pai, um irmão e um tio de Jéferson foram ouvidos e se emocionaram durante os depoimentos. A prima do adolescente morto desmaiou quando era ouvida e foi levada para o Hospital Odilon Behrens, na capital. Ainda segundo a Polícia Civil, laudos de necropsia, balística e da vistoria feita no local do crime são aguardados para auxiliar nas investigações.

O Ministério Público Estadual acompanha a investigação do caso, sobre o qual Polícia Militar e moradores apresentaram versões conflitantes. A investigação da Polícia Civil é realizada paralelamente a um Inquérito Policial Militar, também aberto para apurar as duas mortes.

Testemunhas da comunidade alegam que Jéferson Coelho da Silva, de 17 anos, e Renilson Veriano da Silva, de 39, não tinham envolvimento com atividades criminosas e foram executados por policiais militares. Uma mulher ouvida pela TV Globo que não quis se identificar relatou que presenciou o momento em que as vítimas foram assassinadas por policiais.

Já de acordo com a assessoria de imprensa da Polícia Militar, as vítimas foram atingidas durante um confronto envolvendo militares e um grupo de mais de 10 pessoas. Segundo o tenente-coronel Alberto Luiz, esse grupo teria atirado contra os militares, que faziam um patrulhamento de rotina no aglomerado. Até agora nenhum suspeito foi identificado ou preso. Quatro militares que faziam o patrulhamento no sábado (19) foram afastados do trabalho nas ruas e vão atuar em atividades administrativas da corporação.   Denúncias contra policiais

O ouvidor-geral da Polícia de Minas Gerais, Paulo Vaz Alkmin, confirmou nesta terça-feira (22) em visita ao Aglomerado da Serra, na Região Centro-Sul do estado, que foram recebidas denúncias contra policiais na comunidade. Ainda de acordo com Alkmin, quatro denúncias foram recebidas em 2010 e uma neste domingo (20).

“Todas as denúncias apontam desvio de conduta e má abordagem policial. Não existem milícias. Para se considerar uma milícia é preciso ter uma base fixa no local controlando o comércio. Um morador me ligou no domingo relatando apelidos dos policiais que estariam envolvidos. Já repassamos estas denúncias para o corregedor”, disse.

O líder do "Movimento Paz na Serra", Alexandre Ribeiro, disse ao G1 que não há atuação de milícias no aglomerado. O ouvidor, deputados e vereadores estiveram nesta terça-feira (22) no Aglomerado da Serra para ouvir a população sobre reclamações contra policiais.

veja também