MENU

Polícia vai ouvir motorista envolvido em atropelamento de bebê no Rio

Polícia vai ouvir motorista envolvido em atropelamento de bebê no Rio

Atualizado: Segunda-feira, 19 Setembro de 2011 as 1:47

Bebê de 1 ano e 8 meses morreu atropelado

em rua do Méier, na Zona Norte da cidade

(Foto: Reprodução/TV Globo)

  O delegado Ronaldo de Oliveira, titular da 24ª DP (Piedade), aguarda para a tarde desta segunda-feira (19) o depoimento do professor de inglês que teria provocado o atropelamento de uma mulher e seu bebê na noite de quarta-feira (14), no Méier, na Zona Norte.

A criança morreu no Hospital Salgado Filho, para onde a mãe também foi levada com fratura exposta na perna esquerda. Ela teve alta nesta segunda, informou a Secretaria municipal de Saúde. O professor, segundo testemunhas, dirigia em alta velocidade e bateu na traseira do carro de uma policial civil, que sem controle, atropelou mãe e filho. Muito abalada, ela disse na DP que "tudo foi uma fatalidade" .

O delegado explicou que o professor de inglês esteve na delegacia na própria quarta-feira, após o acidente, para o registro da ocorrência, uma vez que ele chamou socorro para os feridos. Mas, disse o delegado, ele usou do direito de ficar calado sobre o assunto, alegando que estava muito nervoso. O delegado explicou aos advogados do professor que o depoimento era necessário e os advogados combinaram de levá-lo na tarde desta segunda.

"Se ele não vier, aí terei que intimá-lo", disse o delegado, que também vai deve ouvir o depoimento de uma testemunha do atropelamento nesta segunda.

Imagens de câmeras

Ronaldo de Oliveira disse que policiais identificaram três locais ao longo do trajeto do professor que têm imagens de câmeras internas. Ele vai requisitar essas imagens para comprovar se o professor estava em alta velocidade.

Na sexta, a Polícia Civil informou que não conseguiu encontrar imagens de câmeras de segurança de prédios que tenham registrado o atropelamento . O delegado Ronaldo Oliveira notificou a CET-Rio e o Detran para fornecer informações sobre os radares eletrônicos por onde o professor possa passado.

Oliveira informou, na quinta-feira (15), que tanto o professor quanto a policial poderão responder por homicídio. Ele vai aguardar o laudo pericial do local e pretende fazer um perfil dos dois motoristas através do levantamento das multas e infrações cometidas no trânsito.

Na tarde de quinta , o técnico em refrigeração José Ferreira Nunes, principal testemunha, segundo a polícia, contou na delegacia que ia de carro pela Rua Coração de Maria, no Méier,  quando o carro dirigido pelo professor de inglês passou por ele em alta velocidade e fez uma manobra brusca para não bater em outro veículo que estava à frente. Com isso, atingiu o carro da policial.

Nunes afirma que desceu para checar o que tinha acontecido. Ele disse que colocou a mãe ferida na calçada e encontrou a criança gravemente ferida. E contou ainda que o professor desceu do carro dizendo "O que é que eu fiz!".                

veja também