MENU

Polícia vai pedir imagens de prédios para ver quem deixou bomba no Rio

Polícia vai pedir imagens de prédios para ver quem deixou bomba no Rio

Atualizado: Quinta-feira, 14 Julho de 2011 as 1

A polícia vai pedir as imagens das câmeras de segurança dos prédios da Rua Mariz e Barros, na Tijuca, na Zona Norte do Rio, para tentar identificar quem deixou um artefato explosivo no local. A b omba, de fabricação artesanal , segundo o Esquadrão Antibombas, foi encontrada em frente ao portão do Senai.

Segundo o delegado assistente da 18ª DP (Praça da Bandeira), Carlos Magalhães, os restos do artefato detonado serão periciados. Ele disse ainda que foi um segurança do Senai que chamou a PM. O segurança, no entanto, não viu quem deixou o artefato lá.

“Primeiramente, a perícia identifica a substância utilizada no artefato e, posteriormente, podemos saber até o local de origem desse artefato, dos componentes do artefato. Num segundo momento, a investigação vai ser em cima de imagens de possíveis câmeras próximas ao local onde foi deixado o objeto. Essas imagens certamente serão muito proveitosas”, disse o delegado.

Rua na Tijuca foi isolada (Foto: André Teixeira/Agência O Globo)

  Segundo o técnico Edson Britto, do Esquadrão Antibombas, se explodisse, o artefato poderia espalhar estilhaços por um raio de 15 metros.

“Era um artefato de fabricação caseira, de formato cilíndrico, tinha uma simulação de uma tecla e de um pino de uma granada de mão. Uma simulação bem grosseira, mas que pode provocar uma lesão muito grave e até mesmo a morte”, informou o inspetor Edson Britto, do Esquadrão Antibombas.

Artefato foi detonado

O artefato foi destruído por volta das 10h. Foram usados sacos de areia para amortecer o impacto da explosão do objeto. De acordo com o Centro de Operações Rio, a Rua Mariz e Barros, que estava fechada para a destruição do artefato, foi liberada ao tráfego às 10h25. No entanto, o trânsito ainda está complicado na região.          

veja também