MENU

Policiais denunciados por Nem sobre propina devem ser presos

Policiais denunciados por Nem sobre propina devem ser presos

Atualizado: Sexta-feira, 11 Novembro de 2011 as 1:18

Cabral fala durante assinatura de convênio com o

Ministério da Justiça (Foto: Paulo Toledo Piza/G1) O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, afirmou nesta sexta-feira (11) que a polícia deve investigar as denúncias de pagamento de suborno a policiais feitas pelo traficante Antônio Bonfim Lopes, o Nem, apontado como chefe do tráfico na Favela da Rocinha , na Zona Sul do Rio. Ele foi preso na madrugada de quinta-feira (10), enquanto tentava fugir no porta-malas de um carro.

Reportagem da edição desta sexta do jornal “O Globo” diz que o traficante, em depoimento à Polícia Federal, contou que metade de tudo o que arrecadava era gasto com propinas para policiais civis e militares.

“Se for comprovada [a denúncia], os policiais têm que ser presos e responder a processos disciplinar e criminal”, disse o governador após evento no Palácio Guanabara de assinatura de convênio com o Ministério da Justiça para a implantação de núcleos de prevenção à violência nos territórios pacificados.

“O policial que aceita suborno é duplamente marginal. Além de trair a sociedade, ele mata os próprios colegas. Merecem penas muito duras mesmo”, acrescentou. “Mas tenho certeza que a maioria absoluta é composta por pessoas como aquele sargento que fez a prisão [de Nem] ”.

O governador disse esperar contar com a Justiça para que esses policiais, se descobertos e expulsos, não voltem para a corporação. “Temos muitos casos de policiais que foram expulsos e por liminar voltaram para a PM.”

Ocupação da Rocinha

A favela da Zona Sul da cidade vive a expectativa de receber a 19ª Unidade Polícia Pacificadora (UPP) nos próximos dias, após a prisão de Nem. De acordo com o governador Sérgio Cabral, a ocupação da Rocinha será concluída até domingo (13) .

O traficante Nem foi preso na madrugada de quinta-feira (10), após ser encontrado por policiais militares do Batalhão de Choque escondido no porta-mala de um carro, ao tentar fugir da comunidade. Os PMs encontraram no veículo cerca de R$ 180 mil e cinco celulares. Antes da prisão, os homens que ajudavam o traficante na fuga chegaram a oferecer R$ 1 milhão de suborno em troca da liberdade de Nem, segundo a polícia.

Em nota, a Secretaria de estado de Administração Penitenciária (Seap) informou que Nem está em uma cela indivividual, teve o cabelo raspado , terá que usar uniforme, não tem direito a receber visitas e nem a tomar banho de sol , por enquanto.

A polícia mantém o cerco na Rocinha e faz operações em outros pontos do Rio de Janeiro em busca de integrantes da quadrilha de Nem.        

veja também