Policiais são presos acusados de receber dinheiro do tráfico de drogas

Policiais são presos acusados de receber dinheiro do tráfico de drogas

Atualizado: Quarta-feira, 24 Novembro de 2010 as 4:20

Dois policiais civis de Birigui, a 507 km de São Paulo, e um funcionário público municipal que trabalhava na delegacia da cidade foram presos nesta quarta-feira (24) acusados de envolvimento com tráfico de drogas.

A Delegacia Seccional de Araçatuba pediu a prisão dos policiais civis e do servidor público depois de apurar que eles teriam ligações com uma quadrilha presa em Birigui, em outubro de 2010, pelo crime. De acordo com as investigações, eles recebiam dinheiro do chefe do grupo criminoso.

Um investigador foi preso na delegacia sede da cidade. Ele ainda estava no plantão quando policiais da Corregedoria chegaram para cumprir o mandado de prisão, expedido pela Justiça. Em seguida, acompanhados de investigadores da Delegacia Seccional de Araçatuba, os policiais da Corregedoria prenderam um agente em sua casa.

O servidor público que também foi preso prestava serviços na delegacia da cidade. Em sua residência, foram apreendidos um colete balístico e um rádio transmissor que estava na frequência da polícia. Também foi encontrado um revólver que estava com documentação regularizada em nome do funcionário. Ele foi levado para a cadeia de Penápolis. O investigador e o agente policial foram transferidos para o Presídio Especial da Polícia Civil de São Paulo, na zona norte da capital paulista.

Investigação

A operação que desmantelou a quadrilha aconteceu no dia 18 de outubro nos municípios de Birigui, Araçatuba e Lençóis Paulista. Na ocasião, a polícia prendeu 27 pessoas. Todos são acusados de fazer parte de uma quadrilha que adaptava carros com fundo falso para o tráfico de cocaína.

O sobrinho do suposto chefe do grupo criminoso foi preso em Araçatuba. Na casa dele, foram encontradas uma pistola com a numeração raspada e duas réplicas. Investigações apontam que o técnico estava muito próximo de se infiltrar na Polícia Civil.

Ainda entre os envolvidos com a quadrilha está um soldado da Polícia Militar que trabalha em Guarulhos. Ele ainda está foragido. Em pouco mais de seis meses de investigações, a polícia apreendeu mais de 50 kg de cocaína da quadrilha.    

veja também