MENU

Por Battisti, Itália ameaça boicote esportivo contra o Brasil

Por Battisti, Itália ameaça boicote esportivo contra o Brasil

Atualizado: Quarta-feira, 22 Junho de 2011 as 4:33

Após a declaração do ministro da Defesa da Itália, Ignazio La Russa, de que o país pode boicotar a 5ª edição dos Jogos Mundiais Militares no Rio por causa da extradição negada do ex-militante Cesare Battisti, reina um clima de incerteza nos comandos militares italianos.

Faltam apenas 23 dias para o evento, os uniformes oficiais com o emblema comemorativo do aniversário de 150 anos da Itália estão prontos, mas a delegação ainda não sabe se vai para o Brasil. Atualmente cerca de 230 atletas italianos em 15 disciplinas vivem uma incógnita. Eles correm o risco de serem obrigados a desistir da competição por causa de uma decisão política.

"O ministro continua avaliando se a Itália vai participar dos Jogos Mundiais Militares. Ele ainda não tomou uma decisão" disse Emiliano Arrigo, assessor do ministro La Russa, à Folha.

O general responsável pela delegação italiana, que prefere manter o anonimato, explicou que até o fim da tarde desta quarta-feira nenhuma comunicação oficial foi feita.

"A decisão não compete a mim. Sou um militar e não posso dar a minha opinião. Até agora não sabemos nada, se vamos participar dos Jogos ou não", afirmou o general.

Esta não é a primeira vez que um ministro italiano ameaça represálias aos eventos esportivos no Brasil por causa do caso Battisti. O ministro da Simplificação, Roberto Calderoli, propôs que a Itália boicotasse a Copa do Mundo 2014. No entanto, ele não considerou que a seleção italiana ainda não está classificada para o evento.

Na semana passada em Roma, a dupla brasileira Alison e Emanuel recebeu um ataque de laranjas dos torcedores italianos no Circuito Mundial de vôlei de praia. O grupo protestava contra a libertação de Battisti. Apesar do clima tenso no estádio, os brasileiros venceram os dinamarqueses Soderberg e Hoyer.

As ameaças de represália dos políticos italianas contra o Brasil por causa de Cesare Battisti têm sido no campo esportivo, pois os interesses econômicos continuam intactos. Depois de declarar o eventual boicote ao campeonato mundial militar, o ministro La Russa disse:

"Eu não tenho a presunção de influenciar as relações econômicas entre a Itália e o Brasil". A indústria italiana está tentando fechar um acordo com o Brasil para venda de navios militares.Em jogo está muito dinheiro.

Battisti deixou a prisão, em Brasília, no último dia 8 de junho.

veja também