MENU

Por cautela, polícia vai investigar morte do presidente do TJ de SP

Por cautela, polícia vai investigar morte do presidente do TJ de SP

Atualizado: Quinta-feira, 27 Janeiro de 2011 as 9:19

A Polícia Civil vai investigar a morte do presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, desembargador Antonio Carlos Viana Santos, de 68 anos. Ele morreu na madrugada desta quarta-feira (26). De acordo com o delegado-geral da Polícia Civil, Marcos Carneiro Lima, a medida foi tomada por cautela devido ao cargo exercido por Santos, que era o chefe do Poder Judiciário do estado.

“Aparentemente, a morte foi por causas naturais, mas, para que não haja especulação e a polícia não seja acusada de inércia, nós vamos investigar”, afirmou Lima por telefone ao G1 na manhã desta quinta-feira (27). Segundo o delegado-geral, o médico da família não divulgou a causa da morte do magistrado.   O velório do presidente do TJ aconteceu no Salão dos Passos Perdidos, no Palácio da Justiça, no Centro da capital paulista. O enterro vai acontecer nesta manhã no Cemitério Gethsêmani, na Zona Sul de São Paulo.

Viana Santos assumiu a presidência do tribunal em janeiro de 2010 e deveria permanecer no cargo por dois anos. Nascido na cidade de Sorocaba, o desembargador ingressou na magistratura em 1968. Ele trabalhou como juiz nas comarcas de São Luiz do Paraitinga, Oswaldo Cruz, Presidente Prudente, Taubaté e São Paulo. Foi promovido a juiz do extinto Tribunal de Alçada Criminal em 1983 e passou ao cargo de desembargador em 1988.

Por causa do falecimento, foi decretado luto oficial por três dias, com suspensão do expediente nesta quarta-feira, a partir das 13h, em todas as unidades judiciárias do estado, com reinício às 13h do dia 27 de janeiro, ficando suspensos os prazos processuais nos dias 26 e 27 de janeiro.    

veja também