MENU

'Preconceito é a mais danosa das doenças', diz Lula

'Preconceito é a mais danosa das doenças', diz Lula

Atualizado: Quinta-feira, 2 Dezembro de 2010 as 9:30

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta quarta-feira (1), durante cerimônia sobre o Dia Mundial de Luta Contra a Aids 2010, que o "preconceito é a mais danosa das doenças".

Discursando para uma plateia de profissionais da saúde e líderes de movimentos de combate ao vírus da Aids, o presidente disse ter sido vítima de preconceito durante toda a sua vida e se dispôs a lutar contra todas as formas de discriminação depois de deixar a Presidência da República.

“A vida inteira fui vítima de preconceito e sei o que é o preconceito contra mim, contra os pobres, os negros, as pessoas que têm hanseníase, o que é o preconceito contra a mulher, demonstrado na última campanha eleitoral. Então, naquilo que depender de mim, para lutar contra o preconceito, pode contar comigo, porque eu acho o preconceito a mais danosa das doenças", discursou Lula.

A escolha do Brasil para sediar as comemorações do Dia Mundial de Luta contra a Aids, realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), foi comemorada pelo presidente: "Ao escolher o nosso país para sediar as comemorações do dia mundial de combate ao vírus da Aids a ONU honrou a todos os brasileiros. Mais do que homenagear as ações de um governo, a ONU está reconhecendo um longo e intenso trabalho que vem sendo conduzido a muitas mãos no país."

No evento realizado no Palácio do Itamaraty, em Brasília, o presidente lembrou o trabalho do Brasil para levar as técnicas e tratamentos contra a Aids para os países da África e lembrou que o Brasil foi pioneiro na universalização do tratamento contra o HIV: "O Brasil foi o primeiro país a fornecer tratamento universal e igualitário aos portadores de HIV. Quero manifestar a nossa solidariedade às 33 milhões de pessoas no mundo, que vivem com HIV."

Prêmio

O presidente recebeu nesta quarta o prêmio do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/Aids (Unaids) pela liderança exercida no combate à doença.

Na cerimônia, também foi lançada a nova campanha do Ministério da Saúde contra a Aids. O tema deste ano é o preconceito e o objetivo é atingir jovens entre 15 e 24 anos. Essa faixa etária foi escolhida em função de um aumento na incidência da doença entre jovens.

Para a campanha deste ano, 15 jovens portadores do vírus HIV posaram para fotos com artistas famosos. A intenção é mostrar o convívio com a doença e estimular a necessidade de prevenção entre os jovens.

Durante a cerimônia, o jovem Kleber Mendes - que é portador da doença e participou da campanha - falou sobre as dificuldades de acesso ao tratamento e da falta de políticas específicas para os jovens que vivem com HIV.

"Jovem não tem carreira formada. É necessário viver com HIV dentro da escola, porque a gente quer estudar. Jovens com Aids se escondem. Não é fácil mostrar para as pessoas que a gente vive com Aids. Eu não quero ser conhecido por ter participado da campanha e ter falado para o presidente Lula. Meu nome é Cleber Mendes, eu quero trabalhar, quero estudar", afirmou o jovem.

Por: Débora Santos e Robson Bonin

veja também