MENU

Prédio no Centro de SP ganha painéis fotográficos gigantes

Prédio no Centro de SP ganha painéis fotográficos gigantes

Atualizado: Quinta-feira, 14 Outubro de 2010 as 10:50

A exposição Noturnos com 48 fotos em grande formato de grandes metrópoles do mundo vai decorar o prédio dos Correios, na região central de São Paulo, entre 19 de outubro e 26 de novembro. As fotos de Cássio Vasconcellos foram todas tiradas com uma polaroid, à noite, e retratam ambientes urbanos vazios na capital paulista, Nova York, Washington, Tóquio e Paris.

Em um prédio ao lado do prédio dos Correios, duas fotos de São Paulo, que juntas somam 270 metros quadrados, ficarão expostas no Vale do Anhangabaú. “É um presente para o cidadão comum que vai observar que algo diferente aconteceu por ali, o que só é possível porque se trata de um espaço público”, afirmou ao G1 Christian Caujolle, um dos curadores da exposição e antigo editor de conteúdo e fotografia do jornal francês Libération.   A exposição faz parte de um projeto mais amplo, chamado Cidade Galeria, que deve durar, inicialmente, três anos e se propõe a fazer uma reflexão sobre expansão urbana e a utilização dos espaços públicos. O projeto é resultado da união da Brazimage, agência de produção cultural, e das agências parceiras Criacittá e Wanted, com o apoio da Prefeitura através da Secretaria de Cultura, SP Urbanismo e SPTuris.

Além de manifestações menores, uma vez por ano será organizada um grande evento como ciclos de cinema, ações pedagógicas, colóquios ou exposição de um artista que trabalha com madeira.  

“Cássio Vasconcellos foi escolhido [para fazer a abertura do projeto] por ser um dos maiores fotógrafos brasileiros que fazem uma reflexão sobre a cidade, a mundialização (...) A ampliação de suas fotos mostram as cores dessas cidades ”, afirmou Caujolle.

“As imagens são magníficas. As cidades se parecem. Não há mais limites. Elas se expandem sem parar”, observou.

O ex-editor do Libération disse que, antes do projeto, não conhecia melhor o Rio de Janeiro, onde já trabalhou. “Gosto cada vez mais de São Paulo (...) O que tocou é que a cidade é tão caótica, o que dá talvez a possibilidade de fazer alguma coisa”, declarou o francês, que já veio para São Paulo “umas 10 vezes”. “Ou você se deixa esmagar ou você se confronta essa realidade”, completou.    

veja também