MENU

Prédio que desabou em Belém tinha erro de cálculo, diz laudo

Prédio que desabou em Belém tinha erro de cálculo, diz laudo

Atualizado: Sábado, 12 Março de 2011 as 10:59

O prédio que desabou em Belém (PA) no dia 29 de janeiro não tinha pilares adequados no andar térreo para aguentar a força dos ventos, de acordo com um laudo apresentado nesta sexta-feira e desenvolvido pela Faculdade de Engenharia Civil da UFPA (Universidade Federal do Pará). Os destroços do desabamento atingiram casas vizinhas, e três pessoas morreram.Segundo a equipe que fez pela análise, o engenheiro calculista da obra --responsável por planejar o "esqueleto" do prédio-- não levou em conta a necessidade de fazer uma estrutura resistente a forças horizontais.

De acordo com o professor Manoel Diniz Peres, da UFPA, era como se a base do prédio tivesse "osteoporose".

Já as fundações e os materiais utilizados não apresentaram problema na análise, ainda segundo a equipe.

O documento, não oficial, foi encomendado pelo Crea-PA (Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura).

O Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, vinculado à Secretaria de Segurança Pública do Pará, ainda não encerrou os estudos para entender o que motivou o desabamento. É o laudo desse centro que deverá ser usado pelo Ministério Público e pela Justiça.

O laudo divulgado nesta sexta será avaliado por especialistas do Crea, que vão avaliar quais providências serão tomadas.

O Real Class desabou em nove segundos, de acordo com a equipe responsável pelo laudo. Três pessoas morreram. O prédio tinha 34 andares e 60 apartamentos, e a construção seria finalizada em dezembro deste ano.

Em nota, a construtora Real Engenharia declarou que não teve acesso ao documento e que só se manifestará após analisar em conjunto o laudo do centro de perícias e outro em andamento pela própria empresa.  

veja também