MENU

Prefeita diz que não teve tempo para enviar papéis para Câmara

Prefeita diz que não teve tempo para enviar papéis para Câmara

Atualizado: Terça-feira, 20 Setembro de 2011 as 4:33

Prefeita de Jandira passa em frente às caixas de documentos apreendidos (Foto: Letícia Macedo/ G1)

  A prefeita de Jandira, Anabel Sabatine (PSDB), afirmou no início da tarde desta terça-feira (20) que não teve "tempo hábil" para preparar os documentos solicitados pelos vereadores que integram uma comissão especial de inquérito que investiga denúncias na administração dela. Segundo Anabel, a solicitação dos documentos foi encaminhada um dia antes de seu afastamento na semana passada.

“Os documentos não foram dados por conta do meu afastamento. Não tivemos tempo hábil para processar toda a documentação. Foi por isso que não foi entregue”, afirmou a Anabel ao chegar à sede do Executivo municipal. Anabel disse que soube da operação enquanto participava de um encontro com o governador Geraldo Alckmin, em São Paulo.     Ainda de acordo com a prefeita, a solicitação previa que a Prefeitura tinha 48 horas para encaminhar os documentos. “Mas em 48 horas eu saí e voltei. Não tive tempo hábil”, afirmou. “É uma arbitrariedade, é uma truculência. [Querem] o poder a todo custo. A gente percebe que estão querendo arrancar mesmo.”

No dia 13 de setembro, a Câmara afastou Anabel e determinou que o presidente da Câmara, Wesley Teixeira (PSB), tomasse posse. Para iniciar suas atividades na Prefeitura, no dia 14, Teixeira teve que chamar um chaveiro para abrir a porta do gabinete, que foi encontrado trancado. No dia 15, Anabel conseguiu um mandado de segurança que lhe assegurou continuar no poder.

De acordo com Paulo Roberto de Oliveira, um dos advogados da Câmara que acompanhou a operação, a Casa protocolou em 1º de setembro o pedido dos documentos. “Nós reiteramos o pedido no dia 8. Diante da inércia, não tivemos outra opção a não ser entrar com um pedido de busca e apreensão.”

A prefeita afirmou que pretende tomar uma providência. “Vou conversar com os advogados e ver o que posso fazer. Já pensou: todo dia vai ter uma invasão na Prefeitura? Eu não consigo trabalhar.”

Caixas com documentos são levadas (Foto: Letícia

Macedo/G1) A oficial de Justiça, acompanhada de advogados da Câmara e vereadores, chegou à Prefeitura por volta das 10h30 desta terça. Segundo advogados da Câmara, o mandado de busca e apreensão foi emitido pela 1ª Vara Cível de Jandira. A operação, que foi encerrada por volta das 15h, recolheu 14 caixas de documentos relativos aos processos de licitações e de pagamentos, do período de 2009 a 2011.

Suspeitas

Uma comissão na Câmara investiga denuncias de irregularidades na utilização de verba pública. Um documento feito por um morador de Jandira e entregue na Câmara Municipal mostra que a Prefeitura usou R$ 3,2 milhões de um fundo federal para a educação e mais de R$ 400 mil da verba para o combate à dengue para cobrir a folha de pagamento do funcionalismo de Jandira, o que é proibido.

O documento aponta também que, no dia 1º de junho, a Secretaria da Educação de Jandira autorizou que as escolas agendassem um passeio para um recanto ecológico. A excursão não aconteceu no dia marcado por causa do mau tempo. Mas a licitação para contratar o passeio só foi publicada depois, no dia 13 de junho. E quem ganhou a concorrência foi o mesmo lugar.          

veja também