MENU

Prefeito ganha vassoura para 'varrer' corrupção após posse em Campinas

Prefeito ganha vassoura para 'varrer' corrupção após posse em Campinas

Atualizado: Sexta-feira, 21 Outubro de 2011 as 12:27

Serafim ganhou uma vassoura ao assumir interina-

mente o cargo de prefeito de Campinas (Foto:

Reprodução/EPTV) O prefeito interino de Campinas, Pedro Serafim (PDT), que assumiu interinamente o posto de Demétrio Vilagra (PT), na manhã desta sexta-feira (21), ganhou uma vassoura de munícipes que se dizem descontentes com os casos de corrupção na administração campineira. Thiago Ferrari (PTB), que assumiu a presidência da Câmara dos Vereadores, também foi presenteado. Segundo os manifestantes, o objetivo é que eles “varram a corrupção do poder público.”

Vilagra, que assumiu em 24 de agosto, foi afastado pelos vereadores na quarta-feira (19). Ele deve ficar fora do Executivo municipal enquanto durarem os trabalhos da Comissão Processante que investiga fraudes nos contratos da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa).

“Vai ser um governo do povo de Campinas. Um governo suprapartidário”, declarou Serafim em seu discurso de posse na Câmara dos Vereadores. Segundo ele, não há motivos para comemorar a sua posse. “Não há absolutamente motivos para comemorar. Temos, sim, o dever constitucional de substituir o prefeito e o vice na ausência de ambos.”   O prefeito interino disse esperar que Vilagra volte a ocupar o seu posto após a conclusão da comissão. “Do fundo do meu coração, espero que essas denúncias não se comprovem e que ele possa voltar a ocupar sua cadeira e terminar o seu mandato.”

Após a posse, Serafim não disse quais serão as suas primeiras medidas. “Eu vou ver o que eu vou encontrar para ver que providências eu vou tomar”, disse. Segundo ele, já há rumores de que alguns secretários teriam a intenção de deixar o cargo.

Cautela

Os advogados de Demétrio Vilagra devem entrar ainda nesta sexta com um novo recurso, desta vez no Tribunal de Justiça de São Paulo, para tentar se manter no poder. Na quinta-feira (20), eles entraram com um mandado de segurança para tentar anular o afastamento aprovado pela Câmara. O pedido foi negado pelo juiz Mauro Fukumoto, da 1ª Vara da Fazenda Pública de Campinas.

Diante da batalha jurídica, Pedro Serafim reiterou que sua passagem pelo poder será transitória e que aguardará a avaliação desse recurso para tomar medidas mais efetivas. “Nós só iremos fazer alguma mudança significativa após o resultado desse recurso. Não podemos nos precipitar, porque tudo isso aqui pode ser dissolvido pela Justiça hoje à tarde ou na segunda”, declarou.

Essa foi a segunda vez que a Câmara afastou Vilagra. O prefeito, no entanto, conseguiu uma anulação no mesmo sentido logo após assumir a Prefeitura, em 24 de agosto, quando assumiu o cargo no lugar de Hélio de Oliveira Santos (PDT), que também foi afastado por suspeita de envolvimento em esquemas de corrupção.

Como Dr. Hélio, como é conhecido o ex-prefeito, Vilagra afirma que o afastamento e a investigação são motivados por "interesses políticos". A mulher de Dr. Hélio, Rosely Nassim Santos, foi citada pelo Ministério Público como chefe do grupo que fraudava licitações na cidade.

Pedro Serafim exibe manifesto e vassoura que ganhou de munícipes (Foto: Letícia Macedo / G1)        

veja também