MENU

Prefeitura de SP lança campanha de educação no trânsito

Prefeitura de SP lança campanha de educação no trânsito

Atualizado: Quinta-feira, 11 Dezembro de 2008 as 12

Os cruzamentos da Cidade onde ocorre o maior número de atropelamentos estão sendo tomados, a partir desta terça-feira, dia 9 de dezembro, por atores divertidos e com visual bastante colorido para chamar a atenção de motoristas e pedestres para os números preocupantes das mortes no trânsito de São Paulo. Levantamento feito pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) aponta que até agosto deste ano ocorreram 455 mortes por atropelamento, o que corresponde a duas vítimas fatais por dia.

O desafio de reduzir essa triste estatística é enfrentado pela Prefeitura com educação. Uma campanha será veiculada não apenas nas ruas, mas também no rádio e na TV, para conscientizar quem anda a pé ou de carro a respeitar a sinalização. Os números indicam que hoje o trânsito mata mais que as guerras e conflitos.

"Essas medidas vêm ao encontro das nossas metas para reduzir os acidentes de trânsito, mas ainda não atingimos o ideal. As campanhas educativas são muito importantes, porém os investimentos também precisam existir, assim como as penalizações para quem desrespeitar as regras", disse Kassab. O prefeito destacou que, para reduzir o número de atropelamentos, a fiscalização atuará rigorosamente, exigindo o cumprimento das leis de trânsito.

O objetivo da campanha lançada pela Secretaria Municipal de Transportes (SMT) e CET é mudar o comportamento de motoristas e pedestres para reduzir o número de vítimas de acidentes. O primeiro alvo da abordagem é o pedestre, uma vez que é o grupo que agrega mais vítimas. Em 2006, 35.155 pessoas em todo o Brasil perderam a vida por causa de acidentes de trânsito. Foram mais de 100 mortos por dia, dos quais 28% pedestres, vítimas de atropelamento. Esse índice representa 4,1 mortes por 10 mil veículos. Nesse mesmo ano, em São Paulo, a situação foi melhor, com índice de 1,3 morte por 10 mil veículos. Atualmente, o índice de São Paulo está em 1,13. Em 2004, na Inglaterra, o índice de mortes por atropelamento foi de 0,26 por 10 mil veículos e nos Estados Unidos, 0,2.

Os pontos críticos de São Paulo, considerados mais perigosos para os pedestres, são os corredores de M'Boi Mirim (Zona Sul), a avenida Sapopemba, a Radial Leste, avenidas Marechal Tito (Zona Leste) e Senador Teotônio Vilela (Zona Sul). E os cruzamentos, avenida do Estado X avenida Santos Dumont; avenida Brigadeiro Luís Antonio X avenida Paulista; avenida Ipiranga X avenida São João; rua João Teodoro X avenida Tiradentes, e avenida do Estado X avenida Mercúrio.

Educação e humor

As ações educativas estarão em peças publicitárias veiculadas pelas emissoras de rádio e de TV. Inspiradas em situações reais, as cenas chegam à televisão com a narração de uma criança chamando a atenção para o comportamento do motorista, que deve respeitar a preferência do pedestre na faixa.

Nas ruas, atores apresentarão pequenos quadros durante o tempo que o semáforo estiver vermelho e agentes orientarão a travessia de pedestres. O grupo é formado por 42 pessoas, 36 delas atores da Ateliê Teatro, que representarão com muito humor e exagero cenas reais do cotidiano, de pedestres descuidados que, muitas vezes, são vítimas de atropelamento pela falta de atenção ao fazer a travessia fora da faixa ou com o sinal fechado.

Vestindo roupas e perucas coloridas, eles fantasiam cenas bem-humoradas da patricinha que dirige falando ao telefone; do pai que pára no meio da faixa de pedestre para agradar ao bebê que chora e de motoristas que avançam a travessia ou o sinal, entre outras situações. Os atores carregam placas amarelas, com identificações da Prefeitura e CET e os alertas: "No trânsito, dê preferência ao pedestre", "Espere o pedestre terminar a travessia", "Respeite a faixa de pedestre", entre outros. E avisam: Isto não é teatro!

A campanha, composta por um filme e seis spots, a ser veiculada entre os dias 10 e 22 de dezembro, pretende sensibilizar a população para o problema e convidá-la a mudar de atitude.

Além das orientações, a SMT executará obras de melhoria nos corredores e cruzamentos com índices mais elevados de atropelamento. As vias receberão melhorias como pintura e manutenção das faixas, troca e instalação de gradis nas vias e corredores de ônibus, iluminação das faixas de pedestre ou recuo das áreas de travessia, ampliando a distância da esquina, para maior segurança. Também será intensificada a fiscalização dos "marronzinhos" para o cumprimento da lei de trânsito.

A principal causa dos atropelamentos é a imprudência dos motoristas e dos pedestres. Alguns dos comportamentos de risco dos pedestres são atravessar fora da faixa, cruzar a rua entre os veículos, quando o trânsito está parado, caminhar na pista reservada aos veículos e não aguardar o verde do semáforo de pedestres para iniciar a travessia. Da parte dos motoristas, muitos não respeitam a preferência dos pedestres na faixa de travessia. Quando o semáforo fica verde, alguns não respeitam que o pedestre conclua a travessia, ao fazer conversões não aguardam que o pedestre termine de cruzar a rua transversal e nas faixas nas quais não existe semáforo não param para que o pedestre passe.

veja também