MENU

Prefeitura diz que resolveu problema causado por metano em Cingapura

Prefeitura diz que resolveu problema causado por metano em Cingapura

Atualizado: Sexta-feira, 4 Novembro de 2011 as 8:07

A Prefeitura de São Paulo afirmou que resolveu o problema de risco de explosão no Cingapura Zaki Narchi, na Zona Norte da capital. Vinte drenos foram instalados, ao redor e dentro do conjunto habitacional, para o alívio dos moradores que correram o risco de ter que deixar os apartamentos.

No mês passado, a Justiça aceitou o pedido do Ministério Público para que os 2.800 moradores fossem retirados do Cingapura.

O conjunto habitacional foi construído em cima de um antigo lixão. O gás metano, formado pela decomposição do lixo, se acumula no subsolo e precisa ser liberado para evitar o risco de explosão. A Prefeitura recorreu da decisão e se comprometeu a instalar um sistema de drenagem.

Os 20 drenos ficam dentro de caixas de concreto que por segurança ficam trancadas. Para atingir e sugar o gás, eles tem de 5 a 7 metros de profundidade.

Nesta quinta-feira (3) funcionários da Prefeitura ainda finalizavam o conserto das calçadas por onde passam os tubos que ligam todos os drenos.

A tubulação traz o gás metano até um contêiner onde fica um grande compressor. Esse joga o gás metano por meio de chaminés e mangueiras até a parte superior do prédio para ser lançado no ar.

“As medições diárias continuam até que o sistema se mostre eficiente suficiente. Isso consegue dar tranquilidade aos moradores de que eles podem se manter na área”, afirmou Norma Bráulio Franzosi, coordenadora do projeto de drenagem.

A Cetesb, responsável pela fiscalização, informou que já recebeu as informações da Prefeitura e que vai marcar uma data para vistoriar o Cingapura.

veja também