MENU

Prefeitura lista desafios para SP sediar abertura da Copa do Mundo

Prefeitura lista desafios para SP sediar abertura da Copa do Mundo

Atualizado: Quinta-feira, 26 Maio de 2011 as 8:12

 Mapa mostra entorno do estádio do Corinthians e alterações previstas pelo poder público: 1) alargamento de via, 2) construção da Nova Radial, 3) construção de novos acessos e 4) construção de passarelas (Foto: divulgação)

Com o fim dos entraves burocráticos para a construção do novo estádio do Corinthians, a Prefeitura de São Paulo se preocupa agora com a formação de funcionários de hotéis, taxistas e até de frentistas para receber turistas em 2014. A afirmação foi feita nesta quarta-feira (25) na Câmara Municipal pelo secretário municipal e articulação da Copa do Mundo de 2014, Gilmar Tadeu Ribeiro Alves. Na Câmara, Alves também foi cobrado por vereadores, que lembraram da falta de leitos hospitalares de urgência e emergência, rede de fibra ótica, estrutura viária e de transportes públicos nas imediações do futuro estádio, em Itaquera, na Zona Leste.

Médico, o vereador Paulo Frange (PTB) afirmou que pode faltar sangue para atender pacientes no entorno do Itaquerão, que pode receber 65 mil torcedores. O vereador também lembrou que habitações precárias ao longo do Córrego Rio Verde mostram o quanto ainda é preciso avançar antes da implementação de um parque linear previsto para ser construído no bairro. "Se alguém passar de helicóptero, São Paulo vai passar vergonha", afirmou. Alves concordou com a necessidade de solucionar o problema habitacional no local. "A Copa vai trazer a oportunidade de construir uma habitação mais digna para esse povo que está lá na beira do córrego." Segundo Alves, o governo federal planeja a solução para o atendimento de urgência e emergência nas 12 cidades.

Terreno onde será feita a obra do estádio do Corinthians (Foto: Juliana Cardilli/G1)

  Ex-presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o vereador Chico Macena (PT) lembrou que falta fibra ótica para transmissão de dados e que a proposta de interligação entre a Luz e o Aeroporto Internacional de Guarulhos, projeto mencionado pelo secretário, é um projeto de Parceria Público-Privada ainda em estágio embrionário. Macena afirmou ainda que a localização do estádio vai provocar tráfego ainda mais intenso na região.

Alves afirmou que a CET acumula tecnologia para eventos do porte da Fórmula 1, que reúne cerca de 70 mil espectadores. "Vamos pensar horários e dias. Às vezes podemos decretar feriados para aquele evento. O fato de o estádio estar na Zona  Leste é uma coisa boa, porque o impacto será menor", afirmou. "Uma forma de acesso que está sendo pensada é utilizar a Jacu-Pêssego ligada à Nova Radial, uma alternativa para quem transita de ônibus e van."

Ex-dirigente do São Paulo Futebol Clube, o vereador Marco Aurélio Cunha (DEM) questionou se haverá tempo hábil para tocar o projeto e se o Corinthians está comprometido com a construção do estádio de 65 mil torcedores necessários à abertura da Copa, e não apenas preocupado em construir os 48 mil assentos planejados incialmente. Alves disse que o projeto do estádio só vale se for para abertura da Copa, faz parte do planejamento da Fifa e envolve todas as esferas de governo.          

veja também