MENU

Presidente da Eletrobrás visita Roraima e anuncia projeto de interligação com AM

Presidente da Eletrobrás visita Roraima e anuncia projeto de interligação com AM

Atualizado: Terça-feira, 2 Fevereiro de 2010 as 12

Acompanhado pelo governador Anchieta e por parlamentares da bancada federal de Roraima, o presidente da Centrais Elétricas Brasileiras S.A. (Eletrobrás), José Antônio Muniz, visitou na última quinta-feira, dia 28, a usina termelétrica do bairro Jardim Floresta. Ele disse que não haverá racionamento de energia no estado, e anunciou, entre outros projetos, o de interligação da energia do Amazonas com Roraima.

Em visita ao estado a pedido do ministro de Minas e Energia, Edson Lobão, o presidente da Eletrobrás afirmou que veio verificar a situação energética de Roraima, devido à situação de racionamento na Venezuela, principal fornecedor do estado. Questionado sobre essa dependência do país vizinho, Antônio Muniz disse não ver isso como problema, uma vez que a intenção do Brasil é criar um sistema interligado com toda América Latina.

"Caminhamos para uma integração energética com toda América Latina. Somos interligados com a Argentina, Paraguai e Uruguai, e estamos estudando interligar com Peru e Venezuela", disse ao ressaltar que o Brasil deve ampliar a interligação já existente com a Venezuela, que, segundo ele, vive uma crise transitória e tem um grande parque hidrelétrico.

Num primeiro momento, a Eletrobrás irá trabalhar no projeto de interligação do Amazonas com Roraima, que já entrou no planejamento do setor elétrico do Ministério de Minas e Energia. Os trabalhos devem iniciar no próximo mês de março e têm data provável de finalização para o ano de 2014, quando a cidade de Manaus já deve estar ligada com o sistema nacional, ficando o sistema brasileiro de energia totalmente interligado.

Além disso, já existem órgãos de pesquisa do setor elétrico estudando o potencial hidrelétrico de Roraima e também da Guiana. Segundo Antônio Muniz, construir uma hidrelétrica no país vizinho seria uma saída viável, devido ao regime de águas daquele país ser diferente do brasileiro. Para ilustrar, ele afirmou que a Guiana tem capacidade de produzir seis mil megawatts, e poderia fornecer para Roraima, que atualmente precisa de apenas 100 megawatts.  

Para o governador, a visita trouxe garantias do compromisso que o Ministério de Minas e Energia tem com o estado. "Caminhamos para soluções definitivas e temos esperança de que vamos resolver a questão energética de Roraima", disse. Além de discutir a questão emergencial, o presidente da Eletrobrás anunciou o investimento de R$200 milhões, que serão aplicados em linhas de subtransmissão de energia para interior do estado.

Por: Albani Mendonça

veja também