MENU

Presidente do PT nega irregularidade em comitê de campanha de Dilma

Presidente do PT nega irregularidade em comitê de campanha de Dilma

Atualizado: Sexta-feira, 21 Maio de 2010 as 2:27

O presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra, negou nesta sexta-feira (21) a existência de irregularidades na contratação de uma empresa que, segundo a Polícia Federal, atuaria na segurança dos endereços da campanha da pré-candidata petista à Presidência da República, Dilma Rousseff, em Brasília.

Dutra disse ter consultado o departamento jurídico do PT sobre a situação da empresa. ''O Jurídico do partido disse que está tudo em ordem com a atuação da empresa. Ela não foi contratada para fazer segurança, tanto que não havia ninguém armado. Eles atuavam como cerimonial, anunciavam quem chegava, faziam o atendimento'', explicou.

A possível irregularidade na atuação dos funcionários foi denunciada em reportagem publicada pelo jornal ''Folha de S.Paulo''. A partir das informações, a Polícia Federal fez uma diligência de rotina, já que é responsabilidade do órgão fiscalizar o ramo de segurança privada no país. Segundo a assessoria da PF, os agentes encontraram três vigilantes credenciados para atuar como segurança por uma empresa de São Paulo, que não teria autorização para realizar o serviço na capital federal, o que pode caracterizar irregularidade passível de multa e outras sanções.

A ação da PF ocorreu no centro da capital federal, no endereço utilizado para reuniões da cúpula da campanha petista. Os funcionários da empresa foram ouvidos e assinaram termo de declaração. Os agentes também recolheram rádios comunicadores dos funcionários, que não teriam licença de frequência da Anatel para funcionar.

O PT foi responsável pela contratação da empresa. Dutra afirmou ao G1 que o partido poderá cancelar o serviço da empresa, caso a PF constate irregularidades. ''A PF fez uma diligência. O que é normal. Vamos aguardar o resultado da investigação. Se a PF entender que houve irregularidade, vamos desfazer o contrato'', disse Dutra.

Ao ser questionado se o episódio poderia ter contornos políticos para desgastar a candidatura petista, Dutra evitou polemizar: ''Ao contrário da oposição, que adora fazer ilações sobre a ação da PF, não vou fazer ilação desse tipo. Foi uma diligência. Uma ação normal''.

Por Robson Bonin

veja também