MENU

Preso diz ter pego dinheiro de suborno com sobrinho de Arruda

Preso diz ter pego dinheiro de suborno com sobrinho de Arruda

Atualizado: Sexta-feira, 5 Fevereiro de 2010 as 12

Preso em flagrante por tentativa de suborno, o servidor público Antônio Bento da Silva, membro do Conselho Fiscal do Metrô de Brasília, disse em depoimento à Polícia Federal (PF) na quinta-feira, 4, ter recebido os R$ 200 mil com os quais foi detido de Rodrigo Arantes, sobrinho e secretário particular do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda (sem partido, ex-DEM). Além do dinheiro, um bilhete, supostamente escrito por Arruda, figura entre os indícios de que o governador estaria por trás da tentativa de suborno.

Bento foi preso na quinta-feira no momento em que entregava o dinheiro ao jornalista Edmilson Edson dos Santos, o Sombra, supostamente como suborno para obstruir as investigações que apontam Arruda como chefe do esquema de corrupção desarticulado pela Operação Caixa de Pandora. Segundo o Ministério Público, Sombra teria sido o responsável por encorajar Durval Barbosa, ex-secretário de Relações Institucionais do governo do Distrito Federal, a contar como funcionava o chamado "mensalão do DEM".

Arantes será intimado a depor ainda nesta sexta-feira, 5. Se ficar comprovado que a tentativa de suborno partiu de Arruda, ele poderá até ser alvo de pedido de prisão por obstrução da Justiça. Sombra relatou que há algum tempo vinha sofrendo assédio de Bento e resolveu relatar o caso à PF, que montou uma operação para flagrar a entrega do suborno.

Segundo depoimento de Sombra à PF, o acordo proposto por Bento, que dizia falar em nome de Arruda, previa que o jornalista convencesse Durval a dar declarações favoráveis ao governador e plantasse no inquérito dados que facilitassem sua defesa. No seu depoimento, Sombra contou que pelo acordo Durval deveria dizer, por exemplo, que os vídeos com cenas de Arruda e outros mensaleiros recebendo dinheiro seriam editados.

Na PF, Sombra também revelou a existência de um bilhete, supostamente escrito por Arruda, que lhe teria sido entregue pelo deputado distrital Geral Naves, do DEM. Em entrevista ao blog do Noblat , do jornal O Globo, Sombra disse que o bilhete foi apreendido pela polícia e também enviado para perícia.

Nele, Arruda escreve algumas frases soltas, como "gosto dele". Sombra entendeu que o governador se referia a Durval, a quem ele teria de cooptar para embaraçar a investigação. Em outro trecho, o bilhete diz: "Sei que tentou evitar". Sombra acha que Arruda queria dizer que ele tentara impedir Durval de denunciar o mensalão. O bilhete contém a sigla GDF (Governo do Distrito Federal), ao lado das letras "OK" em caixa alta.

No depoimento à polícia, ainda conforme o blog, Sombra disse ter procurado Wellington Moraes, assessor de comunicação de Arruda, para tirar o caso a limpo. Os dois, segundo Sombra, se encontraram há duas semanas no oitavo andar do edifício Liberty Mall, ocasião em que o jornalista lhe teria entregue cópia do bilhete para mostrar o amadorismo do governador. A seguir, disse ter ligado para Arruda do telefone de Moraes para sugerir uma negociação direta, sem intermediários e com isso conseguir provas de tentativa de suborno, corrupção e obstrução da justiça. A PF também vai intimar Moraes para depor.

Questões nebulosas

A PF informou que, por enquanto, o caso está sendo investigado em inquérito desvinculado da Caixa de Pandora, porque há "questões nebulosas" a serem esclarecidas. A primeira é que Bento é diretor comercial do jornal O Distrital , no qual Sombra é diretor responsável e escreve editoriais. Numa das últimas edições, Sombra escreveu que havia "um Judas" traindo-o na empresa. Enquanto o jornalista depunha na PF, o nome de Bento foi retirado do expediente no site do jornal.

Por sua assessoria, Arruda disse que a denúncia é "uma farsa grotesca" e anunciou que ontem mesmo mandou demitir Bento do Conselho do Metrô, para onde teria sido indicado por Durval. "É só ligarem os fatos: Sombra é amigo de Durval e chefe de Bento, que agora aparece com essa história fantasiosa."

veja também