MENU

Preso suspeito de roubo em prédio onde mora Lula, no ABC

Preso suspeito de roubo em prédio onde mora Lula, no ABC

Atualizado: Sábado, 22 Janeiro de 2011 as 9:29

Um homem de 27 anos foi preso na madrugada desta sexta-feira (21) suspeito de participar de um assalto em novembro do ano passado a um morador do mesmo condomínio no qual mora o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em São Bernardo do Campo, no ABC. Outros três homens são suspeitos de participar do roubo e são procurados. Foram roubados relógios, celulares, o veículo da vítima e dinheiro.

Para Roberto Batista Filho, delegado titular do 70º DP, de Sapopemba, na Zona Leste de São Paulo, o suspeito possivelmente sabia que o ex-presidente morava no prédio, mas Lula, com certeza, não era o alvo. “Foi um roubo pré-concebido, com dia certo para acontecer. Tinha de ser justamente em um dia em que o Lula não estivesse no prédio, para não haver tanta segurança."

As investigações tiveram início no final do ano passado, quando investigadores do 70º DP receberam informações referentes a um veículo VW Polo utilizado por um dos autores do crime. A vítima foi abordada em seu carro e levada de volta para o seu apartamento, em São Bernardo do Campo.

“Dois subiram com a vítima e outros dois ficaram do lado de fora. Em um primeiro momento, ele se traiu e confessou (ter participado do roubo). Depois, ele negou. Mas ele foi reconhecido pela vítima”, diz o delegado.

Segundo Batista Filho, a vítima já havia sido roubada pelo mesmo suspeito no dia 12 de dezembro de 2009. “Em 2009, ele foi rendido por dois às vésperas do Natal. Em 2010, foram quatro, também às vésperas do Natal. Segundo a vítima, ele foi rendido pelo mesmo homem, que estava armado, nas duas vezes”, afirma o delegado.

Após o roubo, o suspeito fugiu para a Bahia e, há nove dias, retornou para São Paulo, onde acabou surpreendido pela ação da polícia, quando caminhava pela Mooca. Ele permanece preso na carceragem da delegacia, pois teve a prisão preventiva decretada pela 4ª Vara Criminal de São Bernardo do Campo.   Por: Marcelo mora

veja também