MENU

Prevenção de quedas e lesões nos parquinhos

Prevenção de quedas e lesões nos parquinhos

Atualizado: Terça-feira, 26 Fevereiro de 2008 as 12

Com o início das atividades escolares é preciso redobrar os cuidados com a segurança das crianças nos parquinhos infantis, os "playgrounds", porque eles também são locais onde podem ocorrer acidentes, que quase sempre podem ser prevenidos.

No Brasil, as quedas são responsáveis pela morte de 310 crianças de 0 a 14 anos e a lesão em playground é a mais comum relacionada com a escola. Segundo Alessandra Françóia, coordenadora regional da ONG Criança Segura ? Safe Kids Brasil ?, as quedas representam as mais severas lesões relacionadas a equipamentos de playground, como fraturas na cabeça, e 24% das fatalidades estão relacionadas aos parquinhos. "O risco de lesão é quatro vezes maior se a criança cai de um brinquedo mais alto do que 1,5 metro", destaca.

Outro ponto é a estrangulação, que ocorre quando a roupa das crianças enrola ou quando elas ficam presas no brinquedo. "A estrangulação representa perto da metade de todas as mortes relativas a equipamentos de playground", diz Alessandra. A primeira recomendação que a coordenadora dá é a precaução de que os pais ou professores jamais devem deixar uma criança sozinha. "Em qualquer local, situação ou circunstância é preciso ficar observando as crianças, mesmo que à distância", diz ela.

No playground deve-se observar o ambiente, procurando identificar antecipadamente os possíveis riscos e locais ou brinquedos perigosos. Procurar fazer desta atitude um hábito, tendo sempre um "plano" preparado para possíveis emergências. "Outra questão muito importante é verificar as condições de conservação dos brinquedos, se estão bem mantidos ou se há sinais de abandono ou manutenção inadequada, o que pode aumentar muito os riscos de um acidente", comenta Alessandra.

Caso os pais ou responsáveis percebam algo inadequado no playground, tanto dos condomínios residenciais quanto das escolas, devem acionar imediatamente o responsável pelo parquinho, que deverá tomar as providências. Outra recomendação é que as crianças utilizem apenas os brinquedos adequados para a sua idade. "É importante saber que existe uma norma (NBR 14350) que deve ser seguida para evitar os riscos de brincadeiras em parquinhos. Os pais podem e devem reclamar seus direitos quando se sentirem lesionados, junto à escola, administração do parque e do condomínio", completa a coordenadora.

Essas normas de segurança de brinquedos de playgrounds é regida pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, a ABNT, que estabelece os requisitos mínimos de segurança, para evitar os perigos apresentados por equipamentos para brincar, projetados para a instalação permanente ao ar livre. Segundo essas normas, algumas observações devem ser seguidas e respeitadas na construção e manutenção do parquinho. Dentre elas destacamos:

Não pode haver trincas, deformação ou danos permanentes e nenhuma conexão deve afrouxar; Os componentes dos materiais utilizados na construção não devem ter quaisquer cantos afiados ou agudos, ou protuberâncias em qualquer posição que representem perigo para uma criança; Os revestimentos das partes do playground não devem conter substâncias capazes de prejudicar a saúde; Nos casos da aplicação de tinta, deve-se tomar o cuidado para que não seja usado componente tóxico. O mesmo vale para o tratamento preservativo da madeira; As superfícies e cantos de madeira devem ter acabamento liso, livre de lascas, rebarbas ou farpas. Os mesmos não podem ter bordas afiadas e pontas agudas; Todas as superfícies destinadas a entrar em contato com os pés das crianças devem ser horizontais e uniformes; Deve-se atentar para as normas de pisos, degraus, escadas, rampas, corrimãos, barras de segurança e grades de proteção; É recomendado que superfícies absorventes de impacto sejam utilizadas para equipamentos de playground nos quais haja altura de queda livre. Para evitar dores, seqüelas ou até mortes relacionadas a quedas, Alessandra Françóia comenta que os brinquedos dirigíveis também merecem atenção e cuidados, como não deixar as crianças usá-los perto de escadas, piscinas ou ruas. Além disso, é preciso instalar grades nas janelas e portões, no topo e no pé das escadas. "É preciso que os pais ensinem seus filhos sobre os perigos das quedas, para que eles possam ir desenvolvendo uma melhor percepção de cuidado para evitar acidentes", conclui a coordenadora.

 

veja também