MENU

Primeira-dama de Campinas tem pedido de prisão revogado

Primeira-dama de Campinas tem pedido de prisão revogado

Atualizado: Terça-feira, 14 Junho de 2011 as 4:54

A primeira-dama de Campinas, Rosely Nassim Santos, teve seu pedido de prisão revogado. Com isso, ela não pode mais ser presa. A decisão, tomada nesta terça-feira (14), partiu do desembargador do Tribunal de Justiça Poças Leitão, que já havia concedido um primeiro habeas corpus preventivo em favor da primeira-dama. Na avaliação do desembargador, Rosely tem direito a uma proteção judicial por ser mulher do prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT).

O efeito do habeas corpus preventivo tinha sido revisto pelo desembargador Amado Faria, que considerava que o benefício de foro privilegiado só pode ser reservado ao prefeito.

Baseados nesse parecer, os promotores do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e de Investigações Criminais) pediram a prisão preventiva da primeira-dama, após oferecerem denúncia contra ela na 3ª Vara criminal de Campinas.

Outras seis pessoas tiveram a prisão decretada porque tinham envolvimento direto com o prefeito de Campinas e a administração municipal. No total, 22 pessoas, entre eles ex-funcionários da prefeitura, o vice-prefeito e empresários, foram denunciados pelo Ministério Público.

Rosely era considerada foragida da Justiça desde a sexta-feira (10), quando começaram a ser cumpridos pela Corregedoria da Polícia Civil os mandados de prisão contra sete denunciados. Apenas duas pessoas foram presas.

Rosely pediu a exoneração do cargo de secretária-chefe de gabinete da Prefeitura, o que foi aceito pelo marido. O objetivo, segundo ela, foi "preservar a administração pública".          

veja também