MENU

Primeira presidente, Dilma toma posse.

Primeira presidente, Dilma toma posse.

Atualizado: Sábado, 1 Janeiro de 2010 as 10:01

Quando subiu a rampa do Palácio do Planalto há oito anos, Dilma Rousseff era uma desconhecida técnica que tinha começado a vida política nos anos 60 numa guerrilha marxista. Após ganhar a confiança do homem que a fez ministra, tornar-se a sombra dele no governo e eleger-se sua sucessora, ela receberá do mentor a faixa presidencial neste sábado (1º), mas sem afastar completamente o papel de coadjuvante.

Ao contrário de ex-presidentes que se recolheram nos últimos dias de governo, Luiz Inácio Lula da Silva, do alto de sua popularidade recorde, ainda falava sobre sua despedida da Presidência da República. Dilma preferiu manter o silêncio, como fez desde a vitória eleitoral em outubro. “Se ela vacilar, eu saio correndo”, brincou o presidente. “Quero ver ela correr atrás de mim na Esplanada atrás da faixa.”

As primeiras autoridades começaram a chegar a Brasília no último dia de 2010. Confirmaram presença pelo menos 30 dirigentes estrangeiros, incluindo 12 chefes de Estado e 11 chefes de governo – mais do que a de qualquer presidente desde a redemocratização. Dilma deverá conversar com colegas sul-americanos, que serão a maioria dos presentes na cerimônia, programada para as 16h.

História em fotos Veja o álbum de Dilma Rousseff Pelo menos 15 governadores eleitos em 2010 estarão presentes na posse da petista – incluindo cinco tucanos – o paulista Geraldo Alckmin, o paranaense Beto Richa, o goiano Marconi Perillo, o alagoano Teotônio Vilela Filho e o tocantinense Siqueira Campos. O mineiro Antonio Anastasia, pupilo do senador Aécio Neves, não estará presente para prestigiar sua conterrânea de Belo Horizonte.

São esperadas cerca de 20 mil pessoas para a cerimônia de posse de Dilma, que também marcará a despedida de Lula. Em 2002, cerca de 150 mil pessoas se acotovelaram na Esplanada dos Ministérios e na Praça dos Três Poderes para vê-lo receber o cargo do então presidente, o tucano Fernando Henrique Cardoso. Em 2006, o ato de consagração de sua reeleição não atraiu mais do que 10 mil pessoas.

Roteiro e tema da vitória

Horas depois de Lula deixar o Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência, Dilma será levada em carro aberto até o Congresso, onde será empossada após o juramento constitucional. Ela fará ali seu primeiro discurso como sucessora de Lula por volta das 16h20. Os deputados e senadores que a receberão são os da atual legislatura – os eleitos em 2010 tomam posse apenas em fevereiro.

Em seguida, ela será conduzida ao Palácio do Planalto e posicionada diante da rampa. Ladeada pelos Dragões da Independência, que é o 1º regimento de cavalaria do Exército e guardião do palácio, Dilma subirá ao encontro de Lula. Se não estiver chovendo, eles seguem para o Parlatório, na área externa, para que a ex-ministra-chefe da Casa Civil seja a primeira mulher a receber a faixa presidencial. Caso as condições do tempo atrapalhem, a troca se dará dentro do prédio.

Mande seu recado Deixe uma mensagem para a primeira presidente mulher É tamanha a disposição de Lula não dar todos os holofotes a Dilma que, depois de passar a faixa a ela, vai acompanhar a nova presidente na descida da rampa. Nesse momento, a banda militar entoará o Tema da Vitória, usado pela TV Globo para marcar a vitória de pilotos brasileiros na Fórmula 1. Se o vice José Alencar estiver presente, também acompanhará o percurso, ao lado do substituto, Michel Temer.

Em 2002, Fernando Henrique preferiu a saída dos fundos do Palácio do Planalto para não ofuscar a recepção para Lula, que, em carro aberto, ziguezagueou pelo canteiro central da Esplanada ao lado da mulher, Marisa Letícia. Desta vez, Dilma deverá fazer um percurso menor, acompanhada apenas da filha Paula – a petista é divorciada. Empossada, ela retornará em seguida ao Itamaraty para receber líderes estrangeiros.

Segurança

Aproximadamente 4 mil policiais e militares estarão envolvidos na segurança da cerimônia de posse. Agentes da Polícia Federal farão a segurança de Dilma até ela deixar o Congresso Nacional. Depois, já empossada como presidente, esse trabalho passa a ser do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República. O espaço aéreo da região da Esplanada dos Ministérios estará fechado durante todo o dia.

No aeroporto de Brasília, entre 130 e 140 batedores escoltam chefes de Estado e de delegações estrangeiras desde a sexta-feira (31). O carro em que Dilma virá até o Congresso será acompanhado por mulheres da Polícia Rodoviária Federal (PRF). O cerimonial da posse informou que o planejamento de segurança começou em julho. Em 31 de dezembro e 1º de janeiro, 2 mil policiais militares ajudarão na segurança.

Ensaios foram feitos com dublês nos últimos dias, até para a improvável hipótese de uma tentativa de sequestro de Dilma. A maior preocupação do cerimonial, no entanto, é evitar vexames como os de 2002, quando um homem e uma mulher conseguiram furar o esquema de segurança para abraçar Lula enquanto ele desfilava no Rolls-Royce rumo ao Congresso Nacional.

  Carlos Bencke e Maurício Savarese

Do UOL Notícias

Em Brasília

veja também