Primo de Bruno pede a juíza para prestar novo depoimento

Primo de Bruno pede a juíza para prestar novo depoimento

Atualizado: Sexta-feira, 3 Dezembro de 2010 as 3:26

O primo do goleiro Bruno, Sérgio Rosa Sales, réu no processo do desaparecimento e morte de Eliza Samudio, pede à juíza Marixa Fabiane Rodrigues para prestar novo depoimento à Justiça em uma suposta carta enviada no dia 14 de novembro. O G1 teve acesso ao documento nesta sexta-feira (3). Na suposta carta, Sales diz que na época do depoimento, que foi prestado no dia 10 de novembro, estava sofrendo muita pressão de advogados de outros réus e de presos, e por isso teria mentido. Ainda segundo o documento, Sales confirma o segundo depoimento dado a polícia, no qual ele afirma que viu Eliza Samudio no sítio do goleiro com um machucado na cabeça e que ela estava sendo mantida em cárcere privado. Neste depoimento, ele ainda diz que Bruno não teria ido à casa do ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, com Luiz Henrique Romão, o Macarrão, e com o menor, mas que o jogador teria dito que o problema Eliza tinha “acabado”.

Na suposta carta, o primo de Bruno ainda afirma que na reconstituição feita por ele a polícia, grande parte do que ele disse foi o que realmente aconteceu.

No dia 3 de novembro, em audiência no Fórum de Ribeirão das Neves, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, Sérgio Rosa Sales pediu a palavra a juíza e desmentiu os dois depoimentos que prestou a polícia e ainda disse que foi obrigado por delegados a inventar toda a reconstituição que fez no sítio de Bruno. Ele confirmou estas informações no depoimento prestado a juíza Marixa Fabiane Rodrigues no dia 10 de novembro, em Contagem, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Alegações finais

O advogado de Sérgio Rosa Sales, Marco Antônio Siqueira, disse nesta sexta-feira (3) que nas suas alegações finais vai pedir que Sales não seja pronunciado enquanto não for realizado nele um exame psicológico. De acordo com Siqueira, o primo de Bruno teria sofrido muita pressão psicológica, moral e física de outros advogados e presos. O advogado informou que a intenção é que Sales não seja visto como um mentiroso, que a todo momento muda de opinião.

Termina nesta sexta-feira (3) o prazo para que todos os advogados de defesa dos nove réus entreguem suas alegações à Justiça.

veja também