MENU

Prisão de suspeitos perto de escola deixa alunos com medo, diz mãe

Prisão de suspeitos perto de escola deixa alunos com medo, diz mãe

Atualizado: Sexta-feira, 17 Junho de 2011 as 3:52

Suspeitos entram em rua sem saída e tentaram se refugiar em escola (Foto: Letícia Macedo/ G1)

  Dois suspeitos de invadir uma casa na Rua Garcia Lorca, Vila Sônia, Zona Sul de São Paulo, por volta das 6h20 desta sexta-feira (17), foram detidos poucos minutos mais tarde em frente à Escola Estadual Thomazia Montoro, no mesmo bairro. Embora a prisão tenha acontecido antes do início das aulas, muitos adolescentes já tinham chegado para as aulas e ficaram com medo de que criminosos tivessem invadido a escola. Não houve tiroteio e ninguém ficou ferido na ação.     “Minha filha viu aquela história no Rio de Janeiro. Ela me disse que tinha alguém dentro da escola que ia fazer a mesma coisa com os alunos. Na sala dela estava todo mundo chorando”, afirmou a mãe de uma aluna da 7ª série, fazendo referência ao atirador de Realengo, que se suicidou após matar mais de 10 crianças e deixar várias feridas. Ela, que pediu para não ser identificada, havia deixado a filha no colégio poucos minutos antes da prisão dos suspeitos.

As buscas mobilizaram várias equipes da Polícia Militar. Funcionários da escola disseram ao G1 que algumas mães, ao saber o que havia ocorrido, voltaram para buscar os filhos. "Assustados, muitos alunos com celular ligaram para as mães", declarou uma das funcionárias. As aulas no período da manhã, no entanto, transcorreram normalmente.

Suspeitos pularam cerca feita com material cortante

(Foto: Letícia Macedo/ G1)

  Fuga

Para chegar até a escola, os dois suspeitos que foram surpreendidos dentro da casa por policiais militares pularam o muro dos fundos da residência, que dá acesso ao Pátio Vila Sônia do Metrô. Um dos suspeitos foi detido ainda na residência, quando tentava pular o muro da casa.

“Eles colocaram as blusas na cerca de material cortante para deixar o pátio do Metrô, mas ainda assim ficaram com os braços e pernas feridos”, afirmou o soldado Márcio Rogério de Lima, da 2ª Companhia do 16º Batalhão.

Segundo Lima, ao chegar à Rua Doutor Adolfo Melo Júnior, que é sem saída, eles se viram encurralados e tentaram entrar na escola. “Ao ver que estávamos próximos, eles se jogaram no chão. Nenhum tiro foi disparado. Nossa preocupação era evitar que eles entrassem na escola”, declarou o soldado.

Um dos suspeitos é menor e os outros dois têm 18 anos. Um dos maiores já ficou internado na Fundação Casa por furto. Com eles, foram apreendidos dois revólveres calibre 32 e uma pistola 765, segundo Lima.

“Um maior e o menor foram reconhecidos pelo roubo do Fiat Palio que eles utilizaram para chegar à residência”, afirmou o delegado Nelson Benito Júnior, do 34º DP, na Vila Sônia. De acordo com o delegado, eles vão responder por tentativa de roubo qualificado, porte de armas e formação de quadrilha. Os dois maiores responderão ainda por corrupção de menores.

Ação policial começou na Rua Garcia Lorca (Foto: Letícia Macedo / G1)          

veja também