MENU

Programa americano "60 minutes" afirma que hackers causaram dois apagões nos últimos quatro anos no Brasil

Programa americano "60 minutes" afirma que hackers causaram dois apagões nos últimos quatro anos no Brasil

Atualizado: Quarta-feira, 11 Novembro de 2009 as 12

A usina hidrelétrica Itaipu Binacional informou na manhã de hoje que voltou a operar em "condições de normalidade" a partir das 6h de Brasília. O fornecimento de energia está normal na maior parte do país, mas ainda há rescaldos do apagão que deixou grande parte do país às escuras por volta das 22h de ontem.

Os Estados mais atingidos foram os da região Sudeste, principalmente Rio de Janeiro e São Paulo. O governo atribui as causas do apagão a fenômenos climáticos: um forte temporal teria atingido linhas de transmissão e levado ao desligamento de Itaipu e interrupção de algumas linhas de Furnas. A usina de Itaipu informa que ainda não tem informações sobre o que teria provocado o blecaute. A empresa vai colaborar na investigação das suas causas.

Nas cidades atingidas, houve problemas de trânsito e diversas ocorrências atendidas por bombeiros, como pessoas presas em elevadores. Em São Paulo, o rodízio de veículos foi suspenso na manhã desta quarta. Mais de 500 controladores de tráfego foram convocados à noite e na madrugada para orientar motoristas e ajudar a evitar acidentes. Os mais de 4.000 semáforos da cidade entraram em colapso. O metrô parou de funcionar com o apagão, mas voltou a funcionar hoje de manhã.

"Neste momento, 18 unidades geradoras estão em funcionamento: 9 unidades geradoras de 60 Hz e 9 unidades geradoras de 50 Hz", informa a nota divulgada por Itaipu nesta manhã. "A produção total é de 10.450 MW. Destes, 9.800 MW são destinados para atender o sistema integrado brasileiro e 650 MW para atender o Paraguai", diz a nota. Uma unidade geradora de 60 Hz está em manutenção programada e outra de 50 Hz está em "stand by", segundo a usina.

Em outra nota divulgada na madrugada desta quarta, a Itaipu Binacional afirmou que o apagão não teve origem na usina. Houve, segundo a empresa, uma pane no sistema elétrico interligado brasileiro.

"Por efeito dominó, inclusive o sistema paraguaio teve o fornecimento de energia interrompido. A hipótese mais provável é que tenha havido algum acidente que afetou um ou mais pontos do sistema de transmissão, inclusive o de Furnas, responsável por levar a energia de Itaipu para o Sul e Sudeste, acidente este que provocou outros, fenômeno que se costuma chamar de efeito dominó", disse a nota.

"Imediatamente após o blecaute, a usina de Itaipu estava com suas máquinas ligadas, girando no vazio, porém, sem possibilidade de transmitir energia, pois as linhas de transmissão que conectam Itaipu ao sistema brasileiro estavam desligadas", diz ainda a nota. "Itaipu, à 1h do dia 11 de novembro de 2009, aguarda o restabelecimento do sistema interligado para dar início ao fornecimento de energia", finaliza a empresa. O abastecimento de energia começa a voltar em alguns Estados.

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, informou durante entrevista coletiva no final da noite de ontem em Brasília que o apagão tinha acontecido devido a problemas na usina hidrelétrica de Itaipu. O ministro negou que o incidente tivesse sido causado por um hacker que teria invadido o sistema, como chegou a ser especulado.

No último domingo (8), o programa "60 minutes", da rede americana CBS, exibiu uma reportagem dizendo que dois apagões nos últimos quatro anos no Brasil foram causados por ataques de hackers a os sistemas de controle do sistema energético brasileiro.

"Questões atmosféricas, tempestades de grande intensidade, podem ter contribuído para desligar a linhas de Itaipu. Por consequência, pelo regime interligado, outras linhas saem de funcionamento", disse Lobão.

O Paraguai, que faz fronteira com o Brasil, igualmente teve problemas de abastecimento. Por volta das 2h20 o abastecimento foi cortado em Maceió (AL), mas ainda não há informações se o corte tem relação com o apagão no resto do país.

O presidente da hidrelétrica Itaipu Binacional, Jorge Samek, havia afirmado também em entrevista coletiva (ontem à noite, antes da divulgação das notas de Itaipu) que houve avarias em uma ou duas linhas da usina. "Estamos trabalhando com todas as unidades geradoras trabalhando em vazio. Não tem nenhum problema na energia. No ponto de vista de geração não ocorreu problema. São cinco linhas que unem Itaipu ao grande centro, cujas linhas vão para São Paulo, neste processo deve ter ocorrido um grande vendaval, que fez com que uma ou duas linhas tivessem avarias", disse.

Samek mostrou que não havia precisão sobre o tamanho do problema. "Torço para que sejam no máximo duas linhas [com problema]. Quando uma delas tem avaria, desliga-se o sistema para que a gente possa recompor isso. Tivemos um temporal enorme aqui em Foz do Iguaçu, árvores foram arrancadas, mas ainda não tenho a exatidão de onde ocorreu o problema", afirmou.

Segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema), foram perdidos 17 mil MW de potência, o que equivale à potência geral do Estado de São Paulo.

veja também