Programa de rádio diz que Dilma é vítima de campanha suja

Programa de rádio diz que Dilma é vítima de campanha suja

Atualizado: Sexta-feira, 8 Outubro de 2010 as 8:41

Durante o retorno do horário eleitoral gratuito no rádio na manhã desta sexta-feira (8), o programa da candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, afirmou que a petista "está sendo vítima de uma campanha das mais sujas que a gente já viu". Já o tucano José Serra voltou a bater na tecla de que é o mais preparado para governar o País. "O cara só não foi vereador e presidente, o resto já foi tudo", disse um dos locutores.

Em meio à polêmica sobre sua posição relativa ao aborto e à religiosidade, Dilma aproveitou suas falas para investir, de forma sutil, no esclarecimento dos fatos. "Quero começar esse segundo turno agradecendo a Deus por me ter concedido uma dupla graça", disse. Um pouco depois, a candidata afirmou que quer "fazer uma campanha, antes de tudo, em defesa da vida". "De compromisso com os nossos valores mais sagrados. Vamos também debater qual dos dois modelos de governo que estão ai é o melhor para o futuro do País. E fazer isso sem mentira, sem ataques pessoais e sem agressões", afirmou.

Como já era esperado, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a demonstrar seu apoio a Dilma. Em sua fala, Lula destacou os ataques que a petista tem sofrido ao longo da campanha.

"Eu estou vendo acontecer com a Dilma o que aconteceu comigo no passado, quando pessoas saíam do submundo da política mentindo a meu respeito. Dizendo que eu iria fechar as igrejas, mudar a cor da bandeira. Veio as eleições e o que aconteceu? Mais liberdade religiosa, mais respeito à vida, mais democracia, comida na mesa e um melhor salário. Isso foi o que eu fiz pelo Brasil e é isso que Dilma vai continuar fazendo", disse o presidente.

Utilizando a soma dos votos da petista com os da candidata derrotada do Partido Verde, Marina Silva, o programa petista destacou que agora "é a vez da mulher". "Mais de 67% dos brasileiros querem uma mulher na presidência da República", disse um dos apresentadores. A inserção utilizou ainda depoimentos dos governadores eleitos Eduardo Campos (PE), Jaques Wagner (BA), Tarso Genro (RS) e Sérgio Cabral (RJ).

Por sua vez, José Serra começou sua propaganda agradecendo aos eleitores a possibilidade de ir para o segundo turno e pediu, mais uma vez, para que os brasileiros comparem sua trajetória com a de Dilma. "Porque não se pode botar na cadeira de presidente no dia 1º de janeiro do ano que vem alguém que realmente a população não saiba direito quem é, o que pensa, o que fez e o que pretende fazer", alfinetou.

Também utilizando os números do último domingo, o programa serrista destacou que "mais de 55 milhões de brasileiros já disseram: eu não quero a Dilma". Os locutores falaram ainda sobre a loja de produtos vendidos a R$ 1,99 que Dilma teve em Porto Alegre e que não deu certo. "A Dona Dilma não deu conta de cuidar, com todo o respeito, de uma lojinha popular e já quer ser presidente do Brasil?", questionou uma das personagens. "Pois é, como diz o ditado: quem não sabe voar, não devia pular da ponte", respondeu o outro.

Serra prometeu fazer um governo de "mãos limpas". "Não há nada pior para o Brasil que ter governos onde haja mau comportamento que serve de péssimo exemplo para a população. Nós precisamos ter um governo que mostre pra população que trabalhar vale a pena, estudar vale a pena, ser decente vale a pena. Que pra vencer na vida não é só conversa e muito menos esperteza", disse o tucano em referência indireta aos escândalos ocorridos no governo federal durante o governo Lula.     Postado por: Guilherme Pilão

veja também