MENU

Programa destaca coragem de Serra; Dilma diz que rival quer ser 'o rei da continuidade'

Programa destaca coragem de Serra; Dilma diz que rival quer ser 'o rei da continuidade'

Atualizado: Quinta-feira, 21 Outubro de 2010 as 11:38

O programa de rádio desta quinta-feira do tucano José Serra, que costuma soltar diálogos quase teatrais para atacar a adversária Dilma Rousseff (PT), destacou "a coragem do Serra" pelos seus méritos quando ministro e governador.

"A outra lá [Dilma] tem coragem também. A Dilma diz que tudo no governo do Lula foi ela quem fez. Tem que ter muita coragem."

A propaganda tenta ligar o tucano com o seguro desemprego e com o Pronaf, ao afirmar que, quando deputado, ele foi o criador do FAT (Fundo de Amparo ao Trabalhador).

Serra promete o fortalecimento do Pronaf, com mais créditos e simplificação da dívida dos agricultores.

Além das obras que promete fazer, como construção de aeroportos e estradas, Serra afirma que fará construirá sem prejudicar o meio ambiente.

A propaganda, que opta por atacar sutilmente a candidata petista, ainda conta com os locutores afirmando que "certas pessoas falam de um jeito que parece que tudo que foi feito no país foi ele [Lula] quem fez".

O final do programa trás declarações ofegantes de apoio dos políticos mineiros recém-eleitos: Itamar Franco, Antonio Anastasia e Aécio Neves.

PT

Mal termina o jingle inicial e o bom dia e os apresentadores do programa de Dilma já comentam a propaganda de Serra do dia anterior.

"O Serra, que até ontem dizia que fez tudo, absolutamente tudo nesse país, quando percebeu que a gente tava aqui desmascarando ele, que o povo não é besta, resolveu mudar o discurso. Agora quer ser o rei da continuidade."

Defendendo que suas propostas são contraditórias, os locutores acusam o candidato de não ter dado continuidade "nem às coisas de São Paulo".

Os locutores acusam Serra de "apropriação descabida das obras que já tão sendo tocadas no país ou que já tão no PAC". "Essa eleição pra ele é vida ou morte."

No programa, há ainda a acusação de que a campanha de Serra fez gravações por telefone pelo país, falando mal de Dilma, que foi chamada pelos locutores de "telemarketing do mal".

O programa ainda menciona a reunião de artistas e intelectuais em favor de Dilma, que aconteceu na última segunda-feira, no Rio de Janeiro. Dezenas de atores, músicos e pensadores declaram apoio à petista.

No tempo restante de programa, Dilma e Lula afirmam ter medo de que o "Brasil que ficou pra trás" volte, em alusão ao governo de FHC.

veja também