MENU

Projeto estimula vocação empreendedora da Rocinha, no Rio

Projeto estimula vocação empreendedora da Rocinha, no Rio

Atualizado: Sexta-feira, 21 Agosto de 2009 as 12

A favela da Rocinha, comunidade de baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) localizada na Zona Sul do Rio de Janeiro, tem um enorme potencial empreendedor. Com cerca de 200 mil habitantes, o comércio é um dos segmentos mais expressivos da economia local, com mais de 3,6 mil pequenos negócios. Por meio do projeto ‘Rocinha Empreendedora’, o Sebrae/RJ está atuando em diversas áreas de atividade, como turismo, meio ambiente e educação.

Para conhecer de perto os resultados das iniciativas adotadas há um ano, o presidente do Sebrae, Paulo Okamotto, o superintendente da Instituição no Rio, Sergio Malta, e o diretor Evandro Peçanha visitaram a comunidade na tarde desta quinta-feira, 20 de agosto.

O ''Cabe mais Um'', um grupo de costureiras, adotou o próprio lugar em que vive como tema das roupas que produz. Participando de várias oficinas - como design e formação de preço - e com este diferencial, já participaram de quatro edições do Fashion Business, importante feira de negócios de moda e começam a vender para lojas da Zona Sul da cidade. No começo de setembro, as costureiras vão participar do Salão Prêt-à-Porter, em Paris.

''Numa economia global, são justamente as singularidades locais que dão charme e criam diferenciais para os produtos. Neste sentido, a Rocinha possui grande potencial'', afirmou o superintendente do Sebrae/RJ, Sergio Malta.

Neste mesmo evento na capital francesa, será apresentada uma maquete da comunidade, produzida pelo Ateliê Tio Lino, que ensina arte e conta com mais de 150 pessoas inscritas em seu cadastro. ''Já consegui tirar 44 jovens do tráfico'', disse, com orgulho, o idealizador do projeto Lino dos Santos Filho.

''O Sebrae tem conhecimento, recursos e a missão de apoiar os empreendedores. O conhecimento produtivo ajuda a construir a solidariedade empresarial. A economia é um importante caminho para que a comunidade possa se integrar completamente à cidade por meio de produtos e serviços de qualidade'', declarou Okamotto às lideranças locais.

O programa ''Crediamigo'' tem se firmado como a maior experiência de microcrédito do país. Antes operando com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Social (BNDES), o programa conta agora com o Banco do Nordeste (BNB), por meio de convênio firmado com a prefeitura do Rio de Janeiro em julho deste ano.

Os empréstimos, que vão de R$ 100 a R$ 15 mil, com juros a partir de 1,32%, são destinados principalmente aos empreendedores informais individuais ou em grupo que queiram investir no crescimento do negócio. Iniciado em caráter experimental em março deste ano, o Crediamigo já investiu R$ 1,8 milhão na Rocinha.

A estimativa é que até dezembro o cadastro registre cerca de 3,5 mil clientes e a expectativa do BNB é chegar a R$ 50 milhões em empréstimos concedidos nas cinco unidades instaladas na cidade do Rio de Janeiro até o final de 2010. A inadimplência é baixa: menos de 2%. “Isto mostra a seriedade e a competência dos pequenos empreendimentos da Rocinha”, disse Sergio Malta.

O presidente do Sebrae elogiou a iniciativa, mas ressaltou a importância da orientação empresarial: ''O crédito é muito importante, mas não é o único fator de sucesso de um empreendimento; ele tanto pode ser a solução como se tornar um problema. Por isso, é essencial que os empreendedores busquem cursos de capacitação para que possam ter melhores condições para administrar seus negócios'', ressaltou Okamotto.

veja também