MENU

Projetos de acesso a aeroportos para Copa 2014 são prioridades em SP

Projetos de acesso a aeroportos para Copa 2014 são prioridades em SP

Atualizado: Terça-feira, 14 Junho de 2011 as 8:35

Prefeitura e governo de São Paulo apontam investimentos no entorno do futuro estádio do Corinthians e na malha de trens e do Metrô como as principais obras de mobilidade urbana para a Copa de 2014. Representantes governamentais se dizem otimistas com o cumprimento dos prazos e com o legado das obras, necessárias mesmo sem a realização do evento esportivo.

Entretanto, pendências judiciais e a indefinição a respeito do Trem de Alta Velocidade (TAV) mantém no papel os planos de promover ligações entre os aeroportos de Congonhas e de Guarulhos com a rede metroferroviária.   O secretario estadual de Planejamento e Desenvolvimento Regional de São Paulo e coordenador do Comitê Estadual da Copa do Mundo 2014, Emanuel Fernandes, disse ao G1 que as obras de mobilidade sob responsabilidade do governo estadual no entorno do futuro estádio do Corinthians, em Itaquera, na Zona Leste da capital paulista, não sofrerão atrasos.

Fernandes fez um levantamento segundo o qual os investimentos em mobilidade urbana que beneficiam a operação Copa 2014 alcançam a cifra de R$ 37,8 bilhões, sem contar os investimentos em obras viárias do plano de desenvolvimento da Zona Leste, feitas em convênio entre o governo estadual e a Prefeitura de São Paulo, que alcançam a soma de R$ 478 milhões.     Entre os novos empreendimentos previstos estão a construção de um acesso entre o estádio e a Avenida Jacu-Pêssego, que dá acesso ao trecho Sul do Rodoanel Mário Covas e com as rodovias Ayrton Senna, Dutra e Fernão Dias. Também está proposto o alargamento da Avenida Radial Leste, ligação entre o estádio e a região central de São Paulo.

"As obras no entorno do Corinthians não estão atrasadas e vão ficar prontas muito antes, mais de um ano antes. Essas obras têm 18 meses", disse o secretário. "As outras obras de mobilidade - que são a substituição do sistema de controle de trens - essas já faz algum tempo que estão sendo contratadas. Até 2012, comecinho de 2013, tudo estará pronto. Isso não é exclusivo para a Copa, é uma coisa que já vinha", afirmou Fernandes.

O secretário afirmou que a construção do expresso Aeroporto - ligação entre o Metrô Luz e o Aeroporto Internacional de Guarulhos ainda depende da definição ou não sobre o Trem de Alta Velocidade (TAV). Isso porque o TAV, que conta com apoio do governo federal e do governo paulista, também prevê a ligação com o Aeroporto de Guarulhos. "Se tiver o TAV, não sai. Se não tiver, sai", afirmou Fernandes. Questionado sobre o status do TAV, o Ministério dos Transportes informou na sexta-feira que as empresas que disputam a licitação para o TAV devem apresentar propostas em 11 de julho e o leilão para escolha da proposta vencedora será realizado em 29 de julho.

A licitação para escolha das empresas concessionárias responsáveis pela construção do Expresso Aeroporto e por sua exploração comercial fracassou por causa da insegurança dos investidores, uma vez que não está claro se o Trem de Alta Velocidade (TAV) será construído ou não.

Diante disso, o modelo da concessão do Expresso Aeroporto passou por reavaliação pelo governo do estado e deve ser separado de outra alternativa que vem sendo considerada nos planos estratégicos do governo paulista, o Trem de Guarulhos - Linha 13.

Segundo a Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, o governador Geraldo Alckmin pediu ao Conselho Diretor do Programa Estadual de Desestatização (PED) a desvinculação do projeto da Linha 13 da concessão do Expresso Aeroporto.

O modelo inicial previa que o concessionário do Expresso Aeroporto, executasse as obras do elevado que atenderia as duas linhas. Essa desvinculação dos projetos solicitada por Alckmin permitirá que a CPTM inicie a contratação dos projetos básico e executivo, uma vez que já há o projeto funcional e a licença ambiental, para a implantação do Expresso Guarulhos.

Ex-presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de São Paulo e integrante da Comissão de Política Urbana, Metropolitana e Meio Ambiente da Câmara Municipal de São Paulo, o vereador Chico Macena (PT) reclama da demora na definição do Expresso Guarulhos, segundo ele, uma obra fundamental para a Copa, mas afirma que ainda dá tempo de concluir o projeto a tempo.

"O trajeto segue uma rota ferroviária e tem um pedaço pequeno de prolongamento, acho que dá tempo", afirmou. Para Macena, as obras propostas pelos governos estadual e municipal são suficientes para levar público ao Itaquerão. "Temos Metrô e trem, que são capazes de suportar esse acréscimo de 65 mil torcedores. O problema é que o jogo em si é um evento pequeno. Temos que pensar em como garantir a mobilidade de turistas durante todo o evento", afirmou.

Linha Ouro - Congonhas - Metrô

O estádio do Corinthians é cotado para sediar o jogo de abertura da Copa do Mundo desde 1º de março deste ano depois que a Fifa oficializou a proposta e abandonou a ideia de sediar a abertura no estádio Cícero Pompeu de Toledo, no Morumbi, na Zona Sul de São Paulo. A mudança da sede provoca o deslocamento de prioridades, mas a principal delas - a construção da Linha Ouro do Metrô, monotrilho que liga o Morumbi ao Jabaquara, permanece no topo da lista.

O consórcio vencedor da licitação para construir o monotrilho foi anunciado no último dia 2 de junho. Mas o início das obras depende da solução para ações em trâmite do Ministério Público Estadual e do Poder Judiciário (liminar de associação de moradores do Panambi).

Maquete mostra inserção urbana do monotrilho Linha Ouro (Foto: Reprodução/ Metrô)            

veja também