MENU

Protesto contra barcas no Rio tem paródia à música "Emoções", de Roberto Carlos

Protesto contra barcas no Rio tem paródia à música "Emoções", de Roberto Carlos

Atualizado: Quarta-feira, 7 Março de 2012 as 7:14

Anderson Dezan, iG Rio de Janeiro

Manifestantes voltaram a reclamar do aumento de 61% no preço das passagens no trajeto Rio de Janeiro-Niterói

Aproximadamente cem pessoas realizam uma manifestação na tarde desta quarta-feira (7) nas escadarias da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj), no centro, contra o aumento das passagens das barcas que fazem o trajeto Rio-Niterói.

Leia também: Hackers invadem o site da concessionária Barcas S/A

O grupo formado, em sua maioria, por estudantes da UFF (Universidade Federal Fluminense), protestou contra o reajuste de 61% no preço do bilhete, que passou de R$ 2,80 para R$ 4,50 no último dia 3.

Em tom de humor, grupo parodiou a situação atual das barcas com a música \"Emoções\", de Roberto Carlos. Um dos líderes do movimento, Felipe Garcez, de 21 anos, estava fantasiado do cantor e entoou.

\"Tem tudo que a barca/É capz de cobrar/Eu sei, já sofri/Mas não deixo aumentar/Se paguei e se sofri/Sesseta e um por cento aqui\".

O protesto teve início por volta das 14h em frente à estação das barcas, em Niterói. Com cartazes e apitos, os manifestantes gritavam palavras de ordem e fizeram criticas ao governo de Sérgio Cabral (PMDB) e ao secretário estadual de Transportes, Júlio Lopes.

\"Mãos ao alto! R$ 4,50 é um assalto\" e \"Resistir até a tarifa cair\", eram alguns dos lemas do grupo.

Por volta das 16h, os manifestantes deixaram Niterói e seguiram de barca até a Praça 15, no centro da capital. De lá, foram para a Alerj onde acompanhariam a votação da derrubada do veto do governador a uma emenda que obriga a concessionária Barcas S/A a apresentar as receitas, não só da linha Rio-Niterói, como também dos trajetos Mangaratiba-Ilha Grande-Angra dos Reis, Praça 15-Cocotá e Praça 15-Paquetá, catamarãs para Charitas e dos quiosques das estações. A derrubada do veto foi aprovada e a empresa será obrigada a mostrar as cifras destes outros serviços.

\"A empresa alegou que o aumento foi causado por um rombo em sua receita mas só foram apresentados valores arrecadados com o trajeto Rio-Niterói, Queremos que ela apresente o valor arrecadado com as outras linhas como Paquetá, Ilha do Governador e Ilha Grande\", disse Felipe Garcez.

A concessionária reforçou a segurança em torno da estação de Niterói e chegou a ocorrer discussões entre os guardas e os manifestantes. Dez PMs do batalhão do município estavam no local.

Na Alerj, PMs do Batalhão de Choque e do 5º BPM foram chamados para evitar tumultos.

 

 


Continue lendo...

veja também