PSB discute espaço no governo Dilma e defende conversa com oposição

PSB discute espaço no governo Dilma e defende conversa com oposição

Atualizado: Quinta-feira, 4 Novembro de 2010 as 2:24

A Executiva Nacional do PSB está reunida nesta quinta-feira, em Brasília, para discutir a participação que terá no futuro governo da presidente eleita Dilma Rousseff. Ao chegar, dirigentes do partido preferiram não fazer cobranças, mas fizeram questão de lembrar que a legenda sempre foi uma aliada, estando sempre ao lado do presidente Lula.

"O interesse do PSB nesse momento é ajudar a presidente eleita. Faremos tudo que for possível para que ela faça um excelente governo. Temos confiança que ela vai saber montar a sua equipe. Ela sabe do padrão e da relação como aliado que o PSB tem. Até porque ela viu o nosso apoio ao presidente Lula. Sempre nos colocamos para colaborar, nunca nos colocamos para constranger ou trocar apoio político por esse ou aquele cargo", disse o presidente do partido e governador de Pernambuco, Eduardo Campos.

O governador esteve reunido na noite de ontem com o presidente nacional do PT, José Eduardo Dutra. Sobre a conversa, Campos disse que nenhum tipo de compromisso foi acertado oficialmente, mas disse que Dutra manifestou o desejo de Dilma de contar com o PSB na formação do governo. "Ainda não discutimos cargos. Essas coisas serão definidas quando a presidente voltar de seu descanso, lá pelo dia 15", disse Campos.

Apesar de não fazer cobranças, dirigentes do partido lembraram que o PSB conta com quadros importantes na política nacional. Eles falaram ainda da importância de manter um amplo leque de apoio para sustentar a governabilidade. O governador reeleito do Ceará, Cid Gomes, defendeu, inclusive, que Dilma mantenha diálogos com parte da oposição, principalmente com setores do PSDB menos radicais. Cid Gomes citou como exemplos o senador eleito por Minas, Aécio Neves, e o governador eleito de São Paulo, Geraldo Alckmin.

"Eu acredito e defendo que ela procure ampliar a sua base de apoio. Eu defendo o diálogo com o PSDB, por exemplo, com a parte do partido que não está contaminada com o antagonismo da oposição", disse.

O deputado Ciro Gomes (PSB-CE) não deve comparecer à reunião da Executiva.

Por: Maria Clara Cabral

veja também