MENU

PT pede explicações sobre retorno de Prudente à presidência da Câmara do DF

PT pede explicações sobre retorno de Prudente à presidência da Câmara do DF

Atualizado: Segunda-feira, 4 Janeiro de 2010 as 12

O PT pediu nesta segunda-feira explicações à Câmara Legislativa do Distrito Federal sobre o retorno do deputado Leonardo Prudente (sem partido) à presidência da Casa, formalizado na semana passada. Flagrado em um vídeo colocando dinheiro nas meias no suposto esquema de corrupção no governo do Distrito Federal, Prudente reassumiu o comando da Casa depois de pedir afastamento do cargo por 60 dias.

A bancada do PT na Câmara Legislativa protocolou hoje memorando na Mesa Diretora da Casa questionando o retorno de Prudente ao comando da instituição. No ofício,os petistas pedem para ter acesso ao nome do responsável por assinar o ato publicado no Diário Oficial da Casa que reconduziu Prudente à presidência.

A bancada petista também questiona o fato de Prudente ter pedido afastamento de 60 dias da presidência, embora tenho retornado ao cargo menos de um mês depois da sua saída. ''É injustificável que ele reassuma o cargo antes de transcorrido esse período, sem a ocorrência de nenhum fato novo que justifique a suspensão da licença'', afirmou a líder do PT na Câmara Legislativa, Erika Kokay (DF).

No memorando, a bancada do PT solicita à Mesa Diretora a cópia da autorização do retorno antecipado do deputado à presidência da Câmara Legislativa. A petista argumenta que Prudente se licenciou do cargo após ''construir democraticamente'' com os outros deputados distritais a sua saída.

''Ele resolveu retornar e tomou uma decisão unilateral, em pleno recesso parlamentar, quando as atividades da Câmara estão suspensas. Sem nenhum pré-julgamento, defendemos que Leonardo Prudente continue afastado da presidência da Câmara Legislativa, até o término de todas as etapas relacionadas ao processo de quebra de decoro parlamentar em que é investigado'', afirmou a deputada.

Denúncias

A Câmara Legislativa do DF está em recesso parlamentar até o dia 11 de janeiro, quando retoma a análise dos processos de impeachment do governador José Roberto Arruda (sem partido-DF) e de deputados distritais acusados de envolvimento no esquema de corrupção.

Prudente havia se licenciado do cargo em meio às acusações de participação no suposto esquema de pagamento de propina a aliados de Arruda, mas vai estar no comando da Casa durante o julgamento dos processos de impeachment. A recondução de Prudente à presidência da Câmara Legislativa foi publicada dia 30 de dezembro no ''Diário Oficial'' da Câmara do DF.

A expectativa é que Prudente se afaste do cargo quando a Casa for colocar em julgamento o seu pedido de impeachment.

O atual presidente em exercício da Câmara Legislativa, deputado Cabo Patrício (PT), é de um partido de oposição a Arruda --que pediu desfiliação do DEM em meio à crise, assim como Prudente. O retorno de Prudente seria uma estratégia do DEM, ex-partido de Arruda e do deputado, para evitar que Patrício esteja no comando da Casa durante o julgamento dos processos de impeachment.

Além do governador, a Câmara vai analisar processos de perda de mandato contra os deputados Roney Nemer (PMDB), Berinaldo Pontes (PP), Benício Tavares (PMDB), Benedito Domingos (PP), Leonardo Prudente(DEM), Eurides Brito (PMDB), Júnior Brunelli (PSC), Pedro do Ovo (PRP), Aylton Gomes (PMN) e Rogério Ulysses (PSB).

Por Gabriela Guerreiro

veja também