PV começa a traçar plano para Marina após eleição

PV começa a traçar plano para Marina após eleição

Atualizado: Segunda-feira, 30 Agosto de 2010 as 10:06

Integrantes da campanha da senadora Marina Silva (PV-AC) à Presidência se reuniram na manhã deste domingo em São Paulo para tratar, entre outros assuntos, do futuro da candidata do PV após as eleições presidenciais. Apesar de não admitirem publicamente, alguns dos participantes da reunião já dão como certa a derrota da candidata em 2010 e, com base nas últimas pesquisas, trabalham com o cenário de uma vitória da petista Dilma Rousseff (PT).

A ideia do partido, segundo um dos participantes do café, é tornar a candidata uma das líderes da oposição ao PT, que na visão dos verdes sairá hegemônico das urnas após o dia 3 de outubro. Ainda assim, membros da campanha verde evitam falar em uma união de forças com os oposicionistas DEM e PSDB. “O entendimento é que Marina seja a catalisadora dos anseios da sociedade civil organizada, se diferenciando do projeto petista. Independente do segundo turno ou não, a postura é se manter neutro e rejeitar qualquer possibilidade de aproximação com o futuro governo”, disse um dos participantes.

É consenso entre os verdes que as chances de êxito de Marina na eleição deste ano são bastante remotas. A análise que o partido faz é de que a candidata verde não conseguiu romper a barreira dos 10% nas pesquisas, tendo se consolidado apenas junto ao eleitorado classe média, jovem e com nível de escolaridade mais alto. “Temos até esperanças de alta nas pesquisas, mas ninguém consegue entender de onde pode acontecer essa virada", disse um aliado da senadora.

Sobre o futuro de Marina, que ficará sem palanque após o pleito, ainda não está nada decidido. Alguns discutem a possibilidade dela assumir a presidência de uma ONG ambiental ou até de uma fundação que seria criada para abrigá-la, já que seu mandato no Senado se encerra no fim deste ano. “É a grande incógnita do partido até agora. Tudo vai depender da força que Marina obtiver nas urnas e a capacidade dela de agregar votos e se tornar realmente uma alternativa”, diz um alto dirigente da campanha.

O café entre os integrantes da campanha de Marina aconteceu na manhã deste domingo no Itaim Bibi, zona sul de São Paulo. Além da própria Marina e do seu vice, Guilherme Leal, participaram do encontro o coordenador geral da campanha, João Paulo Capobianco, os economistas Eduardo Giannetti e Samir Cury, Ricardo Guimarães (publicitário), Anamaria Schindler e Neca Setúbal (integrantes do programa educacional de Marina), além de Álvaro de Souza (coordenador do comitê de arrecadação da candidata) e Ricardo Young, candidato do PV ao Senado por São Paulo e ex-presidente do Instituto Ethos.

veja também