MENU

Quadrilha da blitz tem entre 20 e 30 integrantes, diz polícia

Quadrilha da blitz tem entre 20 e 30 integrantes, diz polícia

Atualizado: Quarta-feira, 18 Agosto de 2010 as 4:02

A Polícia Civil de São Paulo acredita que a quadrilha que realizava falsas blitze policiais na Via Anhanguera para efetuar roubo de carga de caminhões tenha entre 20 e 30 integrantes. Quatro deles já foram identificados – sendo que três estão presos desde terça-feira (17). Com os presos, foram encontrados distintivos e camisetas da polícia falsos, além de um carro semelhante a um veículo policial descaracterizado.

“É uma quadrilha bastante numerosa, que não está ainda totalmente desarticulada. Estamos no início de um trabalho, prendemos três, identificamos um quarto, acreditamos que a quadrilha tenha entre 20 a 30 integrantes. Nessas operações de estradas normalmente participam entre 15 e 20 indivíduos”, explicou o delegado Adalberto Barbosa, titular da Divisão de Investigações sobre Furtos e Roubos de Veículos e Cargas (Divecar), do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado (Deic). Os três suspeitos foram presos após investigações iniciadas no dia 12 de abril. Na ocasião, a quadrilha atacou um caminhão carregado de eletroeletrônicos na rodovia. O veículo foi cercado por três carros. A escolta reagiu e dois seguranças ficaram feridos.

Resultado da repressão

De acordo com o delegado, é possível verificar uma queda nos casos de roubo de cargas logo após a prisão de quadrilhas como a ocorrida nesta terça-feira. “A repressão tem sido feia de maneira bastante intensa, tanto que nos últimos meses os índices tem caído consideravelmente. A desarticulação de uma quadrilha desse nível, de alta periculosidade, já no dia seguinte percebemos o reflexo positivo. Porque realmente os índices baixam.”

Ainda de acordo com ele, o principal alvo dos criminosos são o trecho que fica dentro de um raio de 150 km da capital paulista nas principais rodovias que chegam à cidade.

Postado por: Thatiane de Souza

Após investigações, a polícia chegou até um bar de fachada na região do Rio Pequeno, Zona Oeste de São Paulo, onde o grupo se reunia. No local funcionava também um ponto de drogas – outra vertente da quadrilha. Em uma casa próxima, foram encontradas camisetas similares às da polícia, distintivo, rádios transmissores, celulares, munições, equipamentos para bloquear o sistema de rastreamento de caminhões. Cinco carros foram apreendidos. Um dos homens que estava no local conseguiu fugir.

Também foi encontrada uma grande quantidade de notas fiscais – segundo a polícia, provavelmente de cargas que foram roubadas. “Vamos instaurar apuração de caso a caso e responsabilizá-los criminalmente por todos eles”, disse Barbosa.

De acordo com a polícia, os eletroeletrônicos eram o alvo principal dos assaltantes. “No segundo semestre há uma demanda maior por eletroeletrônicos, essas carretas trazem esse tipo de material para os grande magazines da região. As quadrilhas monitoram esse transporte e atacam esse veículos na medida em que eles vão chegando na capital”, explicou o delegado. “O caminhoneiro na rodovia, ao ser parado em uma suposta blitz policial, ele vai descer totalmente desprevenido. Isso facilita bastante a ação da quadrilha.”

veja também