MENU

Quadrilha que roubava Rolex pode ter aliciado até cem adolescentes

Quadrilha que roubava Rolex pode ter aliciado até cem adolescentes

Atualizado: Quarta-feira, 8 Junho de 2011 as 3:56

Os cinco suspeitos detidos nesta terça-feira têm passagem pela polícia (Foto: Letícia Macedo/G1)

  Uma quadrilha desmantelada na noite de terça-feira (7) na região central de São Paulo pode ter aliciado, nos últimos três anos, mais de cem menores na Grande São Paulo para roubar relógios importados e celulares na região do Itaim Bibi e dos Jardins. A polícia prendeu em um bar no Centro da capital paulista cinco suspeitos de participar do esquema criminoso, que fornecia armas de brinquedo e toda a estrutura para que os adolescentes praticassem os delitos.

De acordo com o delegado titular do 15º Distrito Policial, no Itaim Bibi, Paul Henry Bozon Verduraz, 22 adolescentes foram apreendidos apenas em 2011 por praticarem roubo com armas de brinquedo na região do Itaim. Nos últimos três meses, foram registrados 65 roubos com as mesmas características.     “Começamos a observar que os roubos tinham alguma coisa em comum. Eles procuravam sempre pessoas com relógios importados. As vítimas eram abordadas na saída de restaurantes ou de shoppings.”, afirmou o delegado. “Os adolescentes que praticavam os roubos tinham o mesmo perfil: não tinham ocupação e eram viciados em drogas. Eles moravam em Ferraz de Vasconcelos, Francisco Morato, Cajamar, naquela região do entorno do Rodoanel”, explicou o delegado.

Para que os adolescentes viessem praticar os delitos na região nobre da capital, os aliciadores forneciam dinheiro para o transporte. “Na maioria das vezes, eles vinham de ônibus. Mas em alguns casos era utilizado até mesmo um táxi”, afirmou o delegado. Eles também orientavam os adolescentes a como escolher suas vítimas.

Polícia tem uma "coleção" de armas de brinquedo que foram utilizadas por adolescentes para cometer crimes na região do Itaim Bibi (Foto: Letícia Macedo/G1)

  Os cinco adultos detidos na terça-feira têm passagem pela polícia. Entre eles, está um motorista de 45 anos, apontado como líder do esquema criminoso. Ele possui nove boletins de ocorrência por ter sido pego ao lado de adolescentes que portavam armas de brinquedo na região. Três dos presos são apontados como receptadores e um como ladrão.

Segundo a polícia, os menores eram remunerados de acordo com o valor do produto roubado. “Por um Rolex, que custa R$ 15 mil, eles pagavam de R$ 500 a R$ 1000”, disse Verduraz. Um celular era comprado pelos aliciadores por R$ 200. Um IPhone, por R$ 300.

Os policiais, que iniciaram a investigação há três meses, chegaram até os cinco adultos presos na região central de São Paulo, através de denúncias feitas por três adolescentes presos aos quais foi oferecido o benefício de delação premiada. Com os cinco adultos foram apreendidos cinco celulares, uma máquina fotográfica e uma arma de brinquedo.

O delegado não descartou que o assaltante morto na tarde de terça-feira, após praticar um balear uma mulher durante um assalto na Rua Melo Alves, nos Jardins, tenha envolvimento com o grupo.

Exterior

O destino dos relógios era o exterior. “O próximo passo da investigação é identificar as pessoas que trabalham para eles levando os relógios provavelmente para a Argentina para vendê-los. Tudo indica que são pessoas que trabalham na aviação e que tem facilidade para levar objetos de valor sem serem notados”, disse o delegado. Os relógios eram transportados no pulso dos integrantes da quadrilha.

O delegado espera que o número de roubos diminua na região após a prisão dos suspeitos de integrar essa quadrilha. A polícia recomenda não reagir a assaltos.          

veja também